PUBLICIDADE
Fortaleza Esporte Clube
NOTÍCIA

Marlon crê que conhecimento do Fortaleza no trabalho de Ceni "vai ser muito importante" na retomada

Atleta reconhece que fato do elenco conhecer o padrão tático do treinador pode dar um passo à frente sobre adversários

18:11 | 10/06/2020
Atleta ainda falou sobre a falta que o torcedor vai fazer nos jogos  (Foto: Bruno Oliveira/Fortaleza EC)
Atleta ainda falou sobre a falta que o torcedor vai fazer nos jogos (Foto: Bruno Oliveira/Fortaleza EC)

Um dos debates tidos nas últimas semanas envolve o fato do Fortaleza estar habituado ao trabalho de Rogério Ceni, o que pode ajudar na preparação para retorno dos jogos oficiais. Em entrevista coletiva dada na tarde desta quarta-feira, 10, o meia Marlon acredita que esse conhecimento vai ser importante na retomada tricolor.

"Hoje temos um padrão de jogo. O primordial de uma equipe é ter padrão de jogo, entrar dentro de campo e saber o que vai realizar. Acho que 95% (do elenco) tem jogos pelo Fortaleza, tem treinamentos com o Rogério Ceni, lógico que alguns menos que outros. Mas sabem o padrão para o esquema tático, movimentação. No dia a dia vamos pegando. Esses 95% já sabem e vão conduzir os que não sabem. Isso vai ser muito importante na nossa retomada", analisou o jogador.

Marlon ainda foi questionado sobre o quanto pode ter sido prejudicial para os jogadores essa pausa de mais de 70 dias sem trabalhos presenciais. O meia explicou que, embora as atividades em casa ajudaram, elas "são diferentes" das feitas no Centro de Treinamento.

"Eu acho que não voltamos como a gente volta quando está no período de férias. É uma coisa diferente para todo mundo. Fizemos o treinamento em casa, um mês, que foi bastante intenso, mas também é diferente. [...] Três meses sem jogar é totalmente diferente do que estamos habituado. No campo, essa diferença é sentida. O sprint é maior, são 90 minutos... não é a mesma coisa de treinar em casa. Mas vamos nos adaptar nesta nova forma. Sei que teremos bastantes jogos quando os campeonatos voltarem, mas vamos nos adaptar", declarou Marlon.

Por fim, o atleta ainda reforçou a falta que o torcedor vai fazer quando o futebol voltar, uma vez que será sem públicos. "Para a gente será complicado, porque sabemos que jogar dentro do Castelão contra o Fortaleza com a nossa torcida ao nosso favor é muito importante. A torcida veste a camisa, empurra do começo ao fim. Vamos tirar nossa motivação de nós mesmo, de cada um. Saberemos que mais de dois milhões de tricolores vão estar nos assistindo ou ouvindo pelo rádio", concluiu.