PUBLICIDADE
Fortaleza Esporte Clube
NOTÍCIA

Craque do Náutico, Jean Carlos já foi dispensado por Ceni no SPFC: "Entendo o que aconteceu"

Meia soma seis gols e quatro assistências em 2020, e é uma das principais armas do Timbu para enfrentar o Fortaleza

Vinícius França
11:53 | 13/03/2020
Jean Carlos é a principal referência técnica do Náutico
Jean Carlos é a principal referência técnica do Náutico (Foto: Divulgação/Náutico)

A partida entre Náutico e Fortaleza, pela Copa do Nordeste, reserva um reencontro peculiar para dois dos principais personagens das equipes na temporada. Destaque do Timbu, Jean Carlos ficará frente a frente com o técnico Rogério Ceni, que dispensou o meia do São Paulo na época em que assumiu o cargo de treinador do Tricolor Paulista.

Em 2016, Jean Carlos foi contratado pelo São Paulo via empréstimo do São Bernardo. Tratando de uma lesão que havia sofrido no Vila Nova-GO, o jogador pouco atuou mesmo chegando com pompa de “substituto do Ganso”. Foram apenas três partidas no Brasileirão daquele ano. Com a saída de Ricardo Gomes e a contratação de Ceni no início de 2017, o meia achou que seria sua hora de ter mais chances, mas não foi o que aconteceu.

“Por opção dele (Rogério), optou por não me utilizar e deixou claro que as portas estavam abertas para eu procurar outro clube. Então foi isso que aconteceu. A minha intenção na época era permanecer mas não ia ficar em um clube que não ia me aproveitar”, disse Jean Carlos em entrevista coletiva em julho de 2019, pouco tempo depois de ser oficializado como reforço do Náutico.

Nos dias que antecederam o embate do Timbu com o Fortaleza, o assunto voltou à tona e o meia falou novamente sobre o que aconteceu no São Paulo: “Para falar a verdade, eu nem cheguei a trabalhar com o Rogério. Desejo toda a sorte do mundo para o Rogério, entendo tudo o que aconteceu lá, não o culpo. O grande culpado sou eu. Hoje, estou podendo retomar o meu bom futebol e espero que sábado possamos sair de campo vencedores”.

Jean Carlos nunca procurou esconder o motivo pelo qual é o “grande culpado” pela sua dispensa do Tricolor Paulista. O próprio jogador já afirmou que atos de indisciplina, como saídas à noite, prejudicaram o seu desempenho e acabaram minando a confiança que Rogério Ceni poderia ter nele. Hoje, o meia vive ótimo momento no Náutico: em 12 jogos em 2020, já são seis gols, quatro assistências e o título de principal destaque da temporada de reconstrução vivida pelo Timbu, que conquistou o acesso à Série B e o título da Série C no ano passado.