PUBLICIDADE
Fortaleza Esporte Clube
NOTÍCIA

"A força psicológica é algo a se destacar", diz Rogério Ceni após vitória contra Barbalha

O Leão iniciou a partida perdendo e conseguiu virar a partida, cujo placar foi 4 a 2 a favor do Fortaleza

Gabriel Lopes
19:21 | 01/03/2020
Rogério Ceni, treinador do Fortaleza
Rogério Ceni, treinador do Fortaleza (Foto: Julio Caesar/O POVO)

A chave foi rodada. Após quase conseguir classificação à segunda fase da Copa Sul-Americana na última quinta-feira, 27, o Fortaleza voltou a jogar pelo Campeonato Cearense, neste domingo, 1°, diante do Barbalha, no estádio Presidente Vargas. Com praticamente um time inteiro titular modificado em relação ao jogo passado, o Tricolor do Pici conseguiu superar as adversidades e vencer por 4 a 2, após sair perdendo logo no início da partida. Em entrevista coletiva cedida à imprensa após o jogo, o técnico Rogério Ceni elogiou a força psicológica dos atletas.

“Era uma preocupação que eu tinha. Depois de um jogo tão importante, gera dúvidas, depois do resultado, apesar de ter sido positivo. Mesmo assim resolvi arriscar nas trocas. Ainda saí perdendo. Mas o time teve cabeça no lugar, o time conseguiu criar oportunidades. A força psicológica é algo a se destacar”, disse.

Ceni também elogiou a estreia de Madson, jogador de 20 anos que veio do Corinthians e só fez três treinamentos com o grupo tricolor. “Ele treinou pouco com a gente. São só três treinos, um treino tático só. No mais foi na conversa. Qualquer jogador demora um pouco para aprender o que os outros já têm automatizado. Foi bem, saiu aplaudido. Me deixou feliz, por ser um jovem de 20 anos, e desempenhou bem sua função. Vai ser aproveitado nas duas competições [Cearense e Copa do Nordeste] e no Brasileiro”, ressaltou.

O treinador do Fortaleza também falou sobre a questão de reforços para o elenco. Além de relembrar a necessidade de ter “um ou dois bons velocistas”, ele falou da preferência por atletas que acrescentem tecnicamente ao estilo de jogo que o agrada, de toque de bola com qualidade.

“Eu pretendo ter mais Juninhos, mais Felipes, mais Bonilhas. O Derley foi o primeiro jogador que eu contratei aqui, tem um espírito de liderança muito grande. Realmente é uma exceção de volante. É o único volante alto que temos. Mas temos predileção para volantes que deem ritmo ao jogo”, falou Ceni, que repetiu o critério quando falou dos goleiros.

“Eu gosto do estilo de jogo do Felipe Alves, que dá ritmo ao jogo. Sempre aqueles que têm mais condição técnica de saída de jogo são prediletos. Você não diminuiu o outro profissional. O Max Walef foi muito bem nesse sentido também. O Felipe Alves vive grande momento e me facilita muito contra equipes que vem mais para se defender do que atacar”, pontuou.