PUBLICIDADE
Fortaleza Esporte Clube
NOTÍCIA

Campanha do Fortaleza para obras do Centro de Excelência arrecada 70% do valor total

Aberta há 11 dias, a campanha tem como meta arrecadar R$ 300 mil. A ação teve início depois que o próprio Rogério Ceni doou R$ 100 mil para as obras

18:19 | 25/12/2019
Rogério Ceni doou R$ 100 mil para as obras
Rogério Ceni doou R$ 100 mil para as obras (Foto: JL ROSA)

O Fortaleza já arrecadou R$ 211.382 para as obras de conclusão do Centro de Excelência do clube, no Pici, alcançando 70% do valor total. Aberta há 11 dias, a campanha tem como meta arrecadar R$ 300 mil.

Restam ainda 49 dias para o encerramento da "vaquinha do Leão". Até o momento, foram 2.170 contribuições, com média de contribuição de R$ 97,41. Os valores de doação variam entre R$ 10 a R$ 1.000, que podem ser pagos em boleto ou cartão, e com opção de parcelamento em até seis vezes caso a parcela tenha o custo mínimo de R$ 25.

De acordo com o site Kickante, plataforma da campanha, foram 910 contribuições de R$ 10; 348 de R$ 50; 483 de R$ 80; 122 de R$ 150; 291 de R$ 300; 33 de R$ 500; e 32 de R$ 1.000. Para cada valor de doação, o contribuinte ganha uma recompensa. Entre elas, um ingresso para o camarote para qualquer jogo de 2020, uma camisa oficial Glória Sul-Americana e certificado digital de colaborador.

O dinheiro será utilizado no núcleo de futebol profissional, que inclui vestiário, salas médicas, salas de fisioterapia, piscina, duas banheiras de hidromassagem, quatro tanques de crioterapia, rouparia e área externa de suplementação esportiva. Essa é a segunda fase do projeto. A primeira, que inclui a reforma da sala de troféus, já está em andamento. A terceira e última fase abrange hotel e refeitório.

A ação teve início depois que o próprio Rogério Ceni abriu mão de sua parte na premiação pela classificação para a Sul-Americana e doou R$ 100 mil para as obras. A doação do treinador surpreendeu o presidente do clube, Marcelo Paz, tendo em vista que o episódio aconteceu quando o técnico nem sabia se permaneceria no Pici.

Como contribuição para o legado de melhorias no Leão, o treinador procurou o presidente Marcelo Paz e propôs a doação da quantia. Isso ocorreu após o último jogo do time na Série A, diante do Bahia, uma semana antes de Rogério Ceni se decidir pela renovação. Naquele momento, não havia nada certo com o Tricolor e o treinador também avaliava as propostas de outros clubes, como o Athletico-PR.