PUBLICIDADE
Fortaleza Esporte Clube
NOTÍCIA

Imprensa argentina vê "com cuidado" o confronto entre Independiente e Fortaleza

O momento ruim dos argentinos, que são considerados favoritos, entra em contraste com o ótimo 2019 do Leão

13:20 | 18/12/2019
O Fortaleza disputa a Copa Sul-Americana pela primeira vez na sua história (Foto: JÚLIO CAESAR)
O Fortaleza disputa a Copa Sul-Americana pela primeira vez na sua história (Foto: JÚLIO CAESAR)

A partida entre Independiente, da Argentina, e Fortaleza, coloca frente a frente duas equipes com pesos opostos no mundo do futebol. Enquanto a equipe argentina é a maior campeão da história da Libertadores, com sete títulos, o Leão estreia em competições internacionais. Porém, a imprensa da Argentina prega discurso de respeito com o Tricolor do Pici, muito pelo momento conturbado do "Rey de Copas", que está sendo comandado por um treinador interino.

O setorista do Independiente pela Rádio Mitre, Juan Ignacio Egido, em conversa com o Esportes O POVO, falou da reação dos torcedores do clube e da imprensa argentina em geral com a definição do Fortaleza como adversário do Rojo. "Alguns comentam que ele será um oponente simples, porque ele é um estreante. Outros são mais cautelosos. O momento do Independiente não é bom e não é tão simples afirmar um triunfo", comentou.

Independiente, adversário do Fortaleza na estreia da Sul-Americana, tem grande time e história, mas passa por problemas

Já o Diário Olé falou sobre o momento e os principais destaques do Fortaleza, além de tratar do momento negativo do Independiente, que deve "ter cuidado" com o time cearense. Eles ressaltaram a retomada da equipe, que estava na Série C há duas temporadas. A campanha no Brasileirão também foi destacada, pois o Fortaleza ficou a apenas três pontos da classificação para a repescagem da Taça Libertadores da América.

O nome de Rogério Ceni também foi mencionado, muito pela notoriedade atingida pelo treinador na sua carreira como atleta. Entre os jogadores, Wellington Paulista foi considerado o jogador mais destacado, com menção ao argentino Mariano Vázquez, conterrâneo do país sul-americano.