PUBLICIDADE
Fortaleza Esporte Clube
NOTÍCIA

Consolidado no Fortaleza, Quintero sonha com convocação à seleção colombiana

Com "grande vitrine" no Tricolor, zagueiro sonha em vestir a camisa da seleção colombiana

01:30 | 04/07/2019
APESAR do estilo aguerrido, Quintero só levou um cartão amarelo pelo Leão
APESAR do estilo aguerrido, Quintero só levou um cartão amarelo pelo Leão (Foto: Aurélio Alves)

Do atentado sofrido há menos de um ano na Colômbia, passando pela desconfiança sobre o desempenho de novo estrangeiro em terras cearenses após tantos fracassos e chegando à condição de titular absoluto no sistema defensivo do Fortaleza. O colombiano Juan Quintero, 24 anos, já marcou seu nome na história do clube com dois títulos neste ano, o Campeonato Cearense e a inédita Copa do Nordeste.

A ótima fase vivida no Tricolor do Pici, atuando na elite do futebol brasileiro, deixa o colombiano em evidência por vaga na seleção de seu País — que caiu nas quartas de final da Copa América do Brasil-2019. O xerife da zaga do Leão sonha com uma oportunidade.

"O Brasil é um grande país, tem um grande torneio e é uma grande vitrine no futebol mundial. Claro que meu sonho é jogar pela seleção (colombiana). É algo que tenho em mente, tenho planejado, mas será no momento em que Deus quiser. Primeiro penso no Fortaleza e em fazer um bom trabalho aqui", afirmou.

Com qualidade técnica na saída de bola, firme na marcação e no jogo aéreo e entrega em campo, Quintero venceu rapidamente a cautela da torcida. Do mesmo modo, o colombiano ganhou a confiança do treinador Rogério Ceni. Pilar no sistema defensivo tricolor, o zagueiro, em sua primeira experiência no Brasil, driblou as dificuldades de adaptação para brilhar com a camisa 3.

Os números comprovam a importância dele para o Fortaleza em 2019. Quintero é o atleta com mais minutagem do elenco, com 2.520 minutos em campo. De 34 jogos do clube na temporada, o defensor atuou em 28 partidas, tendo marcado um gol. É o único atleta do time a disputar os nove confrontos na Série A até agora.

O camisa 3 se destaca ainda por jogar "limpo". Mesmo sendo o jogador com mais minutagem em campo, Quintero só levou um cartão amarelo e sequer desfalcou a equipe por suspensão.

Para virar peça fundamental do esquema montado por Rogério Ceni, o colombiano contrariou empresários que queriam que ele permanecesse no futebol local. Contudo, o defensor manteve firme a decisão de jogar no clube pela influência do treinador e peso da torcida.

Antes da transferência para o escrete do Pici, Quintero estava se destacando pelo Deportivo Cali-COL e era observado pelas principais equipes locais. "Tiveram muitos representantes que diziam para eu não ir para o Fortaleza. 'Fica jogando aqui na Colômbia', diziam. Mas eu sempre busquei desafios difíceis", contou.

"Quando me disseram que nenhum estrangeiro tinha ido bem no Fortaleza, eu disse que queria ir pra lá. Vi nas redes sociais o clube, a torcida, Rogério também mostrou muito interesse. Então, eu disse que queria ir para o Fortaleza. Falei para meu representante arrumar tudo porque eu queria ir. E está dando tudo certo", completou.

 

Reforço

Outro estrangeiro chega ao Pici na sexta-feira. Trata-se do meia argentino Mariano Vásquez, de 26 anos, que atuava no Deportivo Pasto, da Colômbia

Lucas Mota