PUBLICIDADE
Esportes

Rogério Ceni diz que Fortaleza não teve a mesma sorte que o Ceará

Treinador acredita que o Alvinegro contou com a sorte nos dois gols, enquanto faltou para o Tricolor nos lances decisivos, como o pênalti perdido

20:44 | 08/04/2018
NULL
NULL

[FOTO1] 

"Não tivemos a mesma sorte", assim avaliou o técnico Rogério Ceni após a derrota para o Ceará, no 2° jogo da final do Campeonato Cearense, neste domingo, 8, no Castelão. O treinador acredita que o Alvinegro contou com a sorte nos dois gols, enquanto para o Tricolor faltou nos lances decisivos, como o pênalti perdido por Bruno Melo.

%2b 'Você não merece o Tricolor', diz Presidente do Uniclinic sobre Rogério Ceni

"O pênalti que bate na trave e sai para um e a falta que bate na barreira e sobra para o outro", disse Ceni, comparando o pênalti desperdiçado pelo Leão e a bola parada que resultou no primeiro gol do Vovô, marcado por Pio.

O treinador comentou os dois lances de gols do rival, reforçando a sorte para o lado do Alvinegro.

"A bola bateu na barreira e sobrou para o jogador (Pio), que era ele que deveria bater", afirmou. "No segundo, Arthur conduziu a bola, poderíamos ter matado a jogada com antecedência. Ele bateu, sairia um chute fraco, mas bateu no pé do nosso jogador e sobrou para o jogador do Ceará que estava livre (Felipe Azevedo)."
[VIDEO1]
Ceni exaltou o desempenho da equipe na partida deste domingo. O treinador acredita que o Fortaleza foi superior durante os 90 minutos, criando as melhores chances da peleja. "Fizemos um grande jogo, tudo que era possível. O resultado não condiz, diferente de quarta (1º jogo - Ceará 2 x 1 Fortaleza), com o que foi o jogo", ressaltou.

O professor tricolor também elogiou o selecionado de Marcelo Chamusca, mas que no Clássico deste domingo não conseguiu jogar. "Praticamente não teve a bola, trocar passe. Hoje anulamos bastante o meio de campo do Ceará.", assegurou técnico.

RC garantiu que segue no comando técnico do Fortaleza para a Série B 2018. A estreia do Leão ocorre na próxima sexta-feira, 13, no Castelão.

TAGS