Fluminense tem até pancadaria em disputa políticaFutebol | Esportes O POVO 

PUBLICIDADE
Esportes


Fluminense tem até pancadaria em disputa política

Em uma reunião que adentrou a madrugada desta quarta-feira, o Conselho Deliberativo do Fluminense protagonizou cenas até mesmo de violência na reunião para aprovação das contas do presidente Pedro Abad referente à gestão de 2017. Um conselheiro da situação foi agredido por opositores, dando início a um tumulto generalizado e seguranças tiveram que controlar os [?]

12:30 | 10/10/2018

Em uma reunião que adentrou a madrugada desta quarta-feira, o Conselho Deliberativo do Fluminense protagonizou cenas até mesmo de violência na reunião para aprovação das contas do presidente Pedro Abad referente à gestão de 2017. Um conselheiro da situação foi agredido por opositores, dando início a um tumulto generalizado e seguranças tiveram que controlar os ânimos.

Os problemas começaram quando a oposição exigiu a abertura das contas referentes a 2016, alegando que o balanço daquele ano caiu de um superávit de R$ 8,3 milhões para um déficit de R$ 13,5 milhões. Foi colocada em votação a possibilidade de se marcar uma nova data para discutir a reabertura daquele balanço de 2016 ou seguir a votação referente às contas de 2017. A segunda proposta foi eleita por maioria.

Neste momento um conselheiro da situação se dirigiu à mesa diretoria e acabou sendo agredido com um soco. Um tumulto generalizado só foi interrompido com a ação dos seguranças. Diante deste fato, Fernando Leite, presidente do Conselho Deliberativo, encerrou a sessão, gerando a revolta dos conselheiros da situação, que entenderam que a decisão fere o regulamento do clube e mostra um favorecimento aos opositores.

Sobre a agressão, os conselheiros da situação acusam a oposição de agir de forma violenta. Já os opositores garantem que o agredido passou boa parte da sessão debochando dos presentes. Uma nova data será marcada para a votação das contas.

Dentro de campo o elenco voltou ao trabalho nesta manhã de quarta-feira após a terça-feira ser de folga, um prêmio ao time que goleou o Paraná Clube por 4 a 0 na noite de segunda-feira. O Tricolor volta a campo no próximo sábado, às 17h (de Brasília), no Maracanã, no Rio de Janeiro, onde faz o clássico carioca contra o Flamengo pela 29ª rodada do Campeonato Brasileiro. Nesta manhã os titulares ficaram na academia e apenas os reservas trabalharam em campo. A definição da formação que vai a campo deverá começar a acontecer no treino previsto para a manhã desta quinta-feira.

Gazeta Esportiva