Barbieri reconhece dia ruim mas não teme demissão no FlamengoClube de Regatas do Flamengo | Times | Esportes O POVO
PUBLICIDADE
Esportes


Barbieri reconhece dia ruim mas não teme demissão no Flamengo

O Flamengo frustrou os mais de 60 mil torcedores presentes no Maracanã na manhã deste domingo. Jogando diante do vice-lanterna do Brasileirão, o Rubro-Negro tinha tudo para conseguir uma vitória que devolvesse a tranquilidade à equipe após a eliminação da Libertadores. Faltou, porém, combinar o script com o Ceará, que veio ao Rio de Janeiro [?]

15:45 | 02/09/2018

O Flamengo frustrou os mais de 60 mil torcedores presentes no Maracanã na manhã deste domingo. Jogando diante do vice-lanterna do Brasileirão, o Rubro-Negro tinha tudo para conseguir uma vitória que devolvesse a tranquilidade à equipe após a eliminação da Libertadores.

Faltou, porém, combinar o script com o Ceará, que veio ao Rio de Janeiro com uma sólida postura defensiva, e acabou premiado com um gol aos 46 do segundo tempo e saiu de campo com a vitória por 1 a 0.

A derrota em casa sob as vaias da torcida esquentou o clima no vestiário do Flamengo. Em sua coletiva pós-jogo, o técnico Maurício Barbieri minimizou a reação do grupo nos vestiários, mas disse entender a insatisfação da torcida.

?As vaiais são compreensíveis. A torcida fez o papel dela, lotou o Maracanã e nos apoiou. Nós não fizemos nosso papel,? disse o treinador.

?Não teve lavagem de roupa suja no vestiário. O que houve foi frustração. Houve cobranças no intervalo e no final. Cobrança tem que existir. Precisamos refletir e buscar soluções como uma equipe,? completou.

Sobre o jogo, Barbieri reconheceu que a equipe não conseguiu fazer o que estava planejado. Ressaltou que as Chances de gol foram criadas, mas a equipe falhou nas finalizações.

?Hoje foi um dia ruim, cenário ruim, finalizamos, mas não fomos eficientes. Não conseguimos o gol e demos espaços para o adversário. Temos que buscar soluções, porque nem sempre vamos poder contar com todos os jogadores. Temos que trabalhar, fazer mais do que estamos fazendo e buscar alternativas. Não estamos satisfeitos. Quem vai dar soluções é quem está aqui, os jogadores e a comissão. Temos que melhorar,? afirmou o treinador.

Coma situação da equipe na temporada se agravando, já que não está mais na Libertadores e, depois de liderar boa parte do Brasileiro no primeiro turno, já vê o atual terceiro lugar em risco, o clima nos bastidores do clube tem piorado. Apesar de bancado pelo presidente Eduardo Bandeira de Mello, Barbieri vê seu cargo cada vez mais ameaçado. O técnico, porém diz não temer a demissão.

?O meu temor é não conseguir fazer o trabalho da maneira que quero. Não penso no Maurício nesse agora. Quero que a equipe encontre soluções, vou fazer tudo o que estiver ao meu alcance para o Fla encontrar os resultados?

O Flamengo tem um compromisso importante na próxima quarta-feira, diante do Internacional, em Porto Alegre. O Colorado é um dos candidatos ao título. Para o duelo, a equipe carioca já tem três desfalques certos entre os considerados titulares: o meia Diego, suspenso pelo 3º cartão amarelo, Lucas Paquetá e Cuellar, convocados para amistosos das seleções do Brasil e Colômbia, respectivamente. Outro ausente será o lateral Trauco, que estará servido a seleção do Peru.

Diante das dificuldades, Barbieri não antecipou as mudanças que pretende fazer, e vai aguardar a avaliação da comissão técnica para encaminhar os onze iniciais.

?Temos profissionais para fazer essa avaliação psicológica. Uma derrota dura, difícil e inadmissível. Em casa não fomos capazes de fazer valer nossa força. Temos que pensar no Inter e buscar soluções. Vamos reavaliar todos os jogadores amanhã. A lista de desfalques pode ser maior. Vamos escolher a melhor equipe para ter um desempenho satisfatório em Porto Alegre,? concluiu.

Gazeta Esportiva