PUBLICIDADE
Esportes

Zico confia em título do Flamengo e crê na inocência de Guerrero

Maior ídolo da história do Flamengo, o ex-meia Zico está confiante na capacidade da equipe de reverter a desvantagem na final da Copa Sul-Americana. Animado pelo que viu no primeiro jogo, quando o Rubro-Negro acabou derrotado por 2 a 1  pelo Independiente-ARG, ele confirmou presença no estádio do Maracanã para a volta, nesta quarta-feira, às [?]

17:45 | 11/12/2017

Maior ídolo da história do Flamengo, o ex-meia Zico está confiante na capacidade da equipe de reverter a desvantagem na final da Copa Sul-Americana. Animado pelo que viu no primeiro jogo, quando o Rubro-Negro acabou derrotado por 2 a 1  pelo Independiente-ARG, ele confirmou presença no estádio do Maracanã para a volta, nesta quarta-feira, às 21h45 (de Brasília), com a esperança de confirmar o título.

?Assisti ao primeiro jogo, estava lá em Munique, descobriram um link para ver no hotel. Fiquei vendo até de madrugada. Sofri muito não, time muito equilibrado, consciente?, comentou o craque, presente ao evento de lançamento de um jogo de futebol virtual em que ele poderá ser utilizado pelos usuários.

?Me preocupei quando o time tomou o segundo gol, parecia que podia levar mais, mas eles (Independiente) recuaram e o Flamengo podia até ter feito o segundo gol. O negócio vai ser se impor aqui, torcida vai estar lá em peso, comigo também, para buscar esse título?, avaliou Zico, lamentando apenas a ausência de Paolo Guerrero, suspenso por ter caído no exame antidoping por uso de cocaína.

?Ele é um grande profissional, fiz questão de ver os jogos dele, especialmente contra a Argentina. Não vi nada de diferente nele. Sempre mostrou ser um grande profissional. Um exemplo, acho que essa situação está muito mal explicada. Fica difícil, o dito pelo não dito. Não acredito que ele tenha usado algo que faça ele correr ou fazer mais gols?, continuou Zico.

O Galinho de Quintino, que jogou as Copas do Mundo de 1978, 1982 e 1986, foi o responsável pelas maiores conquistas internacionais do Flamengo, ambas em 1981, quando o time levou a Libertadores e a então Taça Intercontinental, hoje reconhecida como Mundial de Clubes.

Gazeta Esportiva

TAGS