?Vimos mais uma injustiça?, detona Mano Menezes sobre expulsão de DedéCruzeiro Esporte Clube | Times | Esportes O POVO
PUBLICIDADE
Esportes


?Vimos mais uma injustiça?, detona Mano Menezes sobre expulsão de Dedé

Sobrou ao técnico Mano Menezes a chateação pela derrota por 2 a 0 do Cruzeiro para o Boca Juniors, na noite desta quarta-feira, na Argentina, no duelo de ida das quartas de final da Copa Libertadores. Mas, além dos problemas que a equipe viveu dentro das quatro linhas, a contribuição para a noite mal dormida [?]

01:00 | 20/09/2018

Sobrou ao técnico Mano Menezes a chateação pela derrota por 2 a 0 do Cruzeiro para o Boca Juniors, na noite desta quarta-feira, na Argentina, no duelo de ida das quartas de final da Copa Libertadores. Mas, além dos problemas que a equipe viveu dentro das quatro linhas, a contribuição para a noite mal dormida que virá ao treinador azul será pelo grave erro da arbitragem ao expulsar o zagueiro Dedé.

No segundo tempo, o árbitro usou o VAR para expulsar Dedé. O jogador trombou com o goleiro do Boca Juniors, no entanto, em um lance normal. Mano Menezes lamenta o que aconteceu na noite desta quarta-feira. ?Não preciso falar da expulsão, o mundo inteiro está falando sobre isso. Não gostaria de falar disso. Não tem sentido analisar. Eu achei que as coisas iriam mudar na Conmebol. Em 2007 já tomei gol aqui com três jogadores impedidos. Mudaram-se as direções, o comando, agora viemos com VAR, seria usado para não ter grandes injustiças. Hoje vimos mais uma injustiça. Não perdemos concentração, perdemos um jogador. No segundo tempo jogamos como Cruzeiro, estávamos fazendo um bom segundo tempo, aí temos uma atitude inexplicável. Não precisa olhar nenhuma vez, o que dirá dez vezes. Vamos guardar nossas forças, juntar a raiva para transformar em algo positivo?, destacou o treinador.

Questionado se os jogadores do Boca pressionaram o árbitro por algum cartão ao zagueiro Dedé, Mano ressalta que em determinado momento os atletas do clube argentino ficaram com receio do árbitro utilizar o vídeo contra o próprio Boca Juniors.

?Ontem tivemos uma reunião sobre o VAR, as duas equipes participaram. Foi explicada a maneira como tudo seria conduzido. Quando tem um lance quando alguém acha algo diferente que ele marcou, mas ele não marcou nada. Alguém do VAR chama o árbitro e diz que algo aconteceu. Alguém achou que alguma coisa estava diferente. Ninguém no campo achou, nem os jogadores do Boca acharam. Tanto que eles pensaram que pudesse ser algo contra eles. O árbitro tomou a decisão, ele é o grande culpado?, completou o treinador.

O Cruzeiro retorna a Belo Horizonte e já se prepara para o duelo contra o Santos, pelo Campeonato Brasileiro. Na próxima semana a Raposa decide sua vida na Copa do Brasil contra o Palmeiras e no dia 4 de outubro, uma quinta-feira, Raposa e Boca se encontram novamente, desta vez no Mineirão.

Gazeta Esportiva

TAGS