PUBLICIDADE
Esportes

Mano Menezes exalta Barcos e pensa em um Cruzeiro ofensivo

O técnico Mano Menezes estava bem mais tranquilo que o habitual na entrevista coletiva depois da vitória do Cruzeiro em cima do Atlético-PR, por 2 a 1, de virada no Mineirão. O treinador rasgou elogios ao atacante argentino Hernán Barcos, que anotou seu primeiro gol com a camisa da Raposa, relembrando até os tempos de [?]

22:30 | 22/07/2018

O técnico Mano Menezes estava bem mais tranquilo que o habitual na entrevista coletiva depois da vitória do Cruzeiro em cima do Atlético-PR, por 2 a 1, de virada no Mineirão.

O treinador rasgou elogios ao atacante argentino Hernán Barcos, que anotou seu primeiro gol com a camisa da Raposa, relembrando até os tempos de quando o jogador era treinado por Vanderlei Luxemburgo no Grêmio, e traçando um paralelo com Evair, que marcou história no Palmeiras.

?A gente já conhecia a característica do jogador, eu me lembro, não sei se foi no Grêmio ou no Palmeiras, que o Vanderlei Luxemburgo dirigiu ele como jogador e era possível fazer ele próximo do Evair. É um jogador que tem familiaridade com a bola e dá uma referência para a equipe. A gente está contente com as primeiras amostragens?, exaltou Mano.

Uma das substituições realizadas pelo comandante foi sacar o volante Lucas Silva, e promovendo a entrada do meia Rafinha, com o objetivo de soltar mais a equipe, que buscava o resultado. Mano Menezes, foi abordado sobre a alteração e explicou o intuito.

?Nós temos jogadores com ótima capacidade para fazer isso (a função de volante). Lucas Romero nos agrada, agrada o torcedor, se entrega com alma, coração, para todas as funções que tem. O jogo estava empurrando Lucas (Silva) para ser meia. Lucas não saiu porque estava mal, saiu porque teve uma modificação tática do jeito de jogar da equipe?, explicou o comandante.

Com um elenco rico à sua disposição, Mano Menezes enfrenta um paradoxo. Ser ofensivo é uma das exigências da torcida e da imprensa. Porém, o treinador se mostrou ao longo da carreira como pragmático, e quase sempre é cobrado para que o elenco da Raposa renda mais.

Na coletiva, o técnico foi abordado sobre a situação e garantiu que esta não é uma decisão tomada desde o começo. ?Isso não é uma decisão que você toma no vestiário. São decisões que você toma no jogo. Às vezes conseguimos fazer a nossa proposta, mas a execução é a parte mais importante do futebol. Ficamos muito mais marcador (no primeiro tempo) do que um time que controlava o jogo. Não é porque eu quero que seja assim, é ruim ser assim?, frisou.

O Cruzeiro voltará aos gramados na próxima quarta-feira diante do Corinthians às 21h45 (horário de Brasília), em partida marcada para a Arena Corinthians, em Itaquera.

Gazeta Esportiva

TAGS