PUBLICIDADE
Esportes

Romero irrita a diretoria e atrito vira público no Corinthians

A situação do atacante Romero já esgotou a diretoria do Corinthians. Irritada com a demora do paraguaio em até sentar-se à mesa com o clube, a cúpula alvinegra, por meio do presidente Andrés Sanchez, tornou pública a insatisfação com o atleta e seu estafe. Ressaltando que o imbróglio se estende desde antes da entrada da [?]

07:15 | 23/01/2019

A situação do atacante Romero já esgotou a diretoria do Corinthians. Irritada com a demora do paraguaio em até sentar-se à mesa com o clube, a cúpula alvinegra, por meio do presidente Andrés Sanchez, tornou pública a insatisfação com o atleta e seu estafe. Ressaltando que o imbróglio se estende desde antes da entrada da OTB Sports na negociação, o mandatário declarou o que já corria nos bastidores do clube desde o começo do ano.

?Estamos tentando renovar desde o ano passado. Aí foi ?despacito (devagarzinho, em espanhol)'?, disse o presidente, simulando uma conversa com o atacante paraguaio. ?Despacito, despacito, despacito? e despacito?, continuou Andrés, indicando a estagnação das tratativas.

A falta de Andrés, porém, apenas externa o que já se sabia no CT. No último domingo, por exemplo, a Gazeta Esportiva ouviu um membro da diretoria tratar como certo que Romero ?está fora? do Alvinegro. ?Não joga mais?, insistiu a pessoa ao ser questionada sobre o sentido literal da outra fala.

A presença do jogador em um dos camarotes da Arena, por sinal, foi vista com surpresa pela cúpula corintiana, que não conseguiu nem ter a oportunidade de conversar sobre renovação com o atleta. A versão alvinegra é que Romero está esperando o tempo passar para assinar com outro clube e ganhar mais dinheiro, algo semelhante ao que fez Balbuena no ano passado.

A possibilidade de trocar o paraguaio com o atacante Luan, do Atlético-MG, já foi rechaçada pela equipe mineira. O Timão tenta barganhar uma liberação imediata do atleta, que pode assinar pré-contrato com outra equipe. Saindo agora, porém, Romero estaria livre para atuar, por exemplo, em uma fase de grupos da Copa Libertadores da América.

Andrés assegura, no entanto, que dinheiro não é a questão primordial no clube. ?Cansei de ouvir falar que o Corinthians estava quebrado. Nunca vi o Corinthians quebrado. Está vindo competitivo, parceria vai melhorando, Corinthians vai melhorando?, concluiu.

Gazeta Esportiva

TAGS