PUBLICIDADE
Esportes

Empresário leva BMG ao Corinthians e Rosenberg vira coadjuvante

Luis Paulo Rosenberg está à frente dos departamentos de marketing e comunicação do Corinthians desde que Andrés Sanchez voltou a ocupar a cadeira de presidente do clube. O economista já fora braço direito do mandatário em sua primeira gestão e é um dos homens de confiança de Andrés até os dias atuais. Nessa quarta-feira, os [?]

06:15 | 17/01/2019

Luis Paulo Rosenberg está à frente dos departamentos de marketing e comunicação do Corinthians desde que Andrés Sanchez voltou a ocupar a cadeira de presidente do clube. O economista já fora braço direito do mandatário em sua primeira gestão e é um dos homens de confiança de Andrés até os dias atuais.

Nessa quarta-feira, os bastidores do Timão se agitaram com a notícia do acordo com o Banco BMG. Já são 21 meses sem um patrocinador máster. Enfim, uma parceira deve ser confirmada, muito provavelmente nessa quinta.

Rosenberg, porém, pouco participou de uma das prioridades do departamento que comanda. A exceção da busca por interessados pelo naming rights da Arena Corinthians, uma novela que perdura desde 2014, fechar um contrato duradouro para o espaço nobre da camisa alvinegra era a principal tarefa do clube nesse quesito.

O vínculo do banco mineiro com a equipe do Parque São Jorge será válido por duas temporadas e renderá no mínimo algo em torno de R$ 30 milhões aos cofres corintianos por ano. Essa receita pode ser elevada com aditivos por metas alcançadas, que podem gerar cerca de R$ 12 milhões a mais ao fim do mesmo período.

Apesar de sua influência, do cargo que ocupa, com as responsabilidades que o mesmo lhe traz, Luis Paulo Rosenberg foi apenas coadjuvante no principal negócio fechado pelo Corinthians desde que Andrés voltou à presidência.

A missão, muito comemorada, tanto interna quanto externamente, foi toda intermediada pelo empresário Giuliano Bertolucci, com participação ativa de Andrés Sanchez.

Antigo aliado e amigo pessoal do mandatário, com diversos negócios dentro do Corinthians, Bertolucci foi quem sentou à mesa inúmeras vezes com Ricardo Guimarães, dono do Banco BMG.

O relacionamento de ambos vem de longa data e as conversas sobre uma então eventual parceria se iniciaram há meses. Uma das evidências disso foi o fato do Corinthians ter ido treinar no campo do Coimbra Esporte Clube, equipe financiada pelo BMG, antes do primeiro jogo da final da Copa do Brasil de 2018, contra o Cruzeiro. Era um sinal de aproximação.

Como Ricardo Guimarães não enxerga Luis Paulo Rosenberg com bons olhos, as tratativas não puderam ter a atuação do diretor de marketing do Corinthians. Por isso, o cartola alvinegra, de fato, se fez presente apenas nas últimas reuniões, quando o acordo já estava alinhado entre BMG, Andrés Sanchez e Giuliano Bertolucci.

Leia também:

Dois anos e bonificações: entenda o contrato entre Corinthians e BMG

Postagem do BMG instiga Derby online entre corintianos e palmeirenses

Corinthians manterá 40% de M. Gabriel; Mexicanos ofereceram mais

Boselli será apresentado à torcida do Corinthians em jogo na Arena

Corinthians impõe maior goleada da Copinha e avança às quartas

O relacionamento nada harmonioso entre Ricardo Guimarães e Luis Paulo Rosenberg, aliás, foi um dos impeditivos para o Banco BMG não patrocinar o Corinthians em 2012, às vésperas do Mundial de Clubes da Fifa.

À época, após a saída da Iveco, empresa que esteve com o Timão durante a campanha que culminou com o título da Copa Libertadores da América daquele mesmo ano, a instituição de Minas Gerais, de novo por meio de Ricardo Guimarães, chegou a apresentar uma proposta a Andrés Sanchez.

Luis Paulo Rosenberg, consultado por Andrés, já não mais presidente corintiano, pois tinha recém-passado o bastão a Mario Gobbi, foi categórico em dizer que conseguiria um acordo mais vantajoso.

O acordo acabou por não sair, Luis Paulo Rosenberg nunca cumprira a promessa feita e o Corinthians passou meses sem um patrocinador máster, até fechar com a Caixa por um valor inferior ao antes oferecido pelo BMG.

Escanteado nos bastidores do acordo com o Banco BMG, Luis Paulo Rosenberg deverá aparecer com destaque no anúncio a ser feito nas próximas horas pelo clube.

A reportagem não obteve êxito nas ligações ao economista e o Corinthians, por meio de sua assessoria, entendeu por melhor o dirigente não conceder entrevista à Gazeta Esportiva sobre o tema abordado nessa matéria.

Gazeta Esportiva

TAGS