Jair admite ?mochila pesada? e lamenta falta de sorte do CorinthiansSport Club Corinthians Paulista | Times | Esportes O POVO
PUBLICIDADE
Esportes


Jair admite ?mochila pesada? e lamenta falta de sorte do Corinthians

Pela quinta rodada seguida no Campeonato Brasileiro, Jair Ventura teve dar explicações para um resultado adverso. Nesse domingo, o treinador do Corinthians admitiu que os reflexos da derrota para o Cruzeiro, na final da Copa do Brasil, influenciaram no fraco desempenho de seu time durante os primeiros minutos do empate com o Vitória. Na visão [?]

19:30 | 21/10/2018

Pela quinta rodada seguida no Campeonato Brasileiro, Jair Ventura teve dar explicações para um resultado adverso. Nesse domingo, o treinador do Corinthians admitiu que os reflexos da derrota para o Cruzeiro, na final da Copa do Brasil, influenciaram no fraco desempenho de seu time durante os primeiros minutos do empate com o Vitória. Na visão do comandante corintiano, só após levar o gol é que o Corinthians acordou para a partida.

?A gente não pode nunca avaliar o jogo sem um contexto total. Hoje, um peso emocional muito grande, uma eliminação jogando em casa, jogando bem e que, com dois vacilos nossos, acabou a gente perdendo o jogo e a taça. Aí vem para o jogo com a mochila pesada, essa parte emocional e fica ainda pior com o gol no início. Vimos a equipe presa no último jogo no início, mas foi mudando, conseguimos o gol numa jogada bem trabalhada, conseguimos o segundo gol, e aí toma um gol na marra, aquela coisa de bola na área, briga, sobra??, avaliou.

?A gente fica muito triste, fizemos o acordo da retomada, tínhamos de dar uma resposta para a torcida. Fica o sentimento ruim, pelo que apresentamos, um jogo aberto, o time consegue a virada e leva o empate no final. Não foi hoje, queríamos a vitória, e agora temos o jogo em casa, para voltar a vencer, para terminar de maneira digna e o mais alto na tabela?, completou.

Jair Ventura tentou destacar os pontos positivos apresentados pelo Corinthians nessa 30ª rodada, sem deixar de reconhecer que em nenhum momento seus jogadores conseguiram tiveram o controle total da disputa.

?O Vitória vem de uma vitória fora, em cima da Chapecoense, o time que vem numa retomada, a gente sabia das dificuldades, mas no primeiro tempo, não criamos tanto, mas tivemos mais o controle, mais no primeiro do que no segundo, até porque o Vitória fez gol cedo. O Corinthians marcou alto, criamos oportunidades assim, mas temos 90 minutos para conseguir a virada, e dentro dos 90 conseguimos definir o jogo, mas tomamos nos acréscimos. Vejo uma partida equilibrada, mas a gente poderia ter uma sorte melhor, já que o gol (de empate do Vitória) não foi numa jogada trabalhada?.

A titularidade de Emerson Sheik pelo terceiro compromisso seguido também foi explicada pelo técnico do Corinthians. Aos 40 anos, o veterano acabou substituído na etapa final, depois de uma atuação apagada.

?Nós começamos (de titular) pelo último jogo do Emerson, um jogo fantástico. Mesmo na derrota nós temos de avaliar. Ele fez um grande jogo, assim como o Pedro (Pedrinho) hoje saiu jogando depois de um grande jogo, depois de marcar um gol dos mais bonitos que eu já vi (anulado, contra o Cruzeiro), e por isso os dois (jogaram) do início hoje?, encerrou.

 

Gazeta Esportiva

TAGS