Rei de Copinhas, Loss tenta levar sucesso da base ao profissionalSport Club Corinthians Paulista | Times | Esportes O POVO 

PUBLICIDADE
Esportes


Rei de Copinhas, Loss tenta levar sucesso da base ao profissional

O técnico Osmar Loss inicia nesta quarta-feira sua primeira disputa de mata-mata no profissional do Corinthians, mas já tem sucesso em torneios eliminatórios defendendo a camisa alvinegra. Dono de fama e, em grande parte, do próprio cargo por causa dos bons desempenhos em Copas São Paulo de Futebol Júnior, ele tenta trazer para a equipe [?]

09:15 | 01/08/2018

O técnico Osmar Loss inicia nesta quarta-feira sua primeira disputa de mata-mata no profissional do Corinthians, mas já tem sucesso em torneios eliminatórios defendendo a camisa alvinegra. Dono de fama e, em grande parte, do próprio cargo por causa dos bons desempenhos em Copas São Paulo de Futebol Júnior, ele tenta trazer para a equipe de cima a trajetória vitoriosa estabelecida nas categorias de base.

?São os mesmos 90 minutos. Na base é um mata, não é mata-mata. Temos que estar preparado emocionalmente para poder construir uma vantagem ou para destruir uma vantagem é o fundamental. No Brasileiro a vantagem vai sendo construída e destruída à medida em que os jogos vão passando. Tem que ter uma capacidade gerencial a médio e longo prazo?, explicou Loss, com ótimas lembranças das últimas copas pelo Timão.

Logo na sua primeira Copa São Paulo, assumindo uma equipe que caíra precocemente em 2013 em todos os torneios que disputou, levou um questionável elenco, liderado por Malcom, para a final, perdendo para o Santos, sua única derrota em quatro edições do torneio.

Em 2015, semanas depois de assegurar a ainda única conquista do Brasileiro sub-20, ele foi além: montou um time que dominou os adversários no título da Copinha, com destaque para a vitória por 3 a 0 na semifinal, contra um São Paulo de notória boa geração da base (Luiz Araújo e David Neres estavam entre os tricolores). Os frutos foram vários: Caíque França, Léo Príncipe, Marciel e, principalmente, Guilherme Arana e Maycon.

Depois de ser cedido para o Bragantino, mas não conseguir se estabelecer no time do interior, Loss voltou para outras campanhas de sucesso. Em 2016, contando mais uma vez com Maycon, acabou perdendo o título nos pênaltis para o Flamengo, em mais uma final. Daquela equipe, destacaram-se justamente Léo Santos, possível titular nesta quarta, e Léo Jabá, vendido para o Akhmat Grozny, da Rússia, no ano passado.

Para fechar, em 2017, pouco antes de ser chamado para integrar a comissão técnica de Fábio Carille, Loss comandou sua última Copinha, com mais um título. De quebra, entregou para o profissional o agora lateral direito Mantuan, o lateral esquerdo Carlos, reserva naquela campanha, e o destaque da companhia: o meia Pedrinho, suplente no ano anterior, hoje titular da equipe.

Sétimo colocado no Campeonato Brasileiro, nove pontos atrás do líder Flamengo, Loss tem na Copa do Brasil seu caminho mais curto para chegar a um título ainda nesta temporada. Na semana que vem começa a fase eliminatória da Copa Libertadores da América, dessa vez nas oitavas de final, contra o Colo Colo.

Gazeta Esportiva

TAGS