Ídolo no Chile, ex-corintiano volta ao Colo-Colo em meio a mata-mataSport Club Corinthians Paulista | Times | Esportes O POVO
PUBLICIDADE
Esportes


Ídolo no Chile, ex-corintiano volta ao Colo-Colo em meio a mata-mata

O esforço exigido de um torcedor do Corinthians para se recordar da passagem de Emerson Pereira pelo clube, entre 2000 e 2001, contrasta com a facilidade que se inclui o meio-campista aposentado no rol de ídolos do Colo-Colo. Ele está listado assim no site oficial do clube chileno, que decidiu contar novamente com o brasileiro [?]

09:00 | 07/08/2018

O esforço exigido de um torcedor do Corinthians para se recordar da passagem de Emerson Pereira pelo clube, entre 2000 e 2001, contrasta com a facilidade que se inclui o meio-campista aposentado no rol de ídolos do Colo-Colo. Ele está listado assim no site oficial do clube chileno, que decidiu contar novamente com o brasileiro de 44 anos como funcionário em 2018.

Com passagens recentes como técnico das categorias de base do Desportivo Brasil e do chinês Shandong Luneng, Emerson Pereira deverá assumir as divisões inferiores do Colo-Colo após o jogo dos profissionais contra o Corinthians, na quarta-feira, pelas oitavas de final da Copa Libertadores da América. O acordo foi alinhado na recente intertemporada do time chileno em Atibaia (SP), durante a Copa do Mundo da Rússia, segundo a imprensa do país andino.

Na ocasião, Emerson Pereira aproveitou a estadia do Colo-Colo no interior paulista para matar as saudades de velhos amigos. ?El Cabezón? foi recebido como o ídolo que é e, bem-humorado, apontou o período a serviço do clube de Santiago como o melhor da sua trajetória no futebol. Em redes sociais, o discurso é comprovado ? o ex-jogador frequentemente se manifesta em espanhol, na maioria das vezes para rememorar os seus feitos no Estádio Monumental.

Tricampeão nacional (1996, 1997 e 1998) e com duas semifinais de Copa Sul-Americana (1996 e 1997) e uma de Copa Libertadores da América (1997) no currículo como atleta do Colo-Colo, Emerson Pereira costuma ser lembrado por um belo gol no clássico contra a Universidad de Chile. ?E pensar que o meu velho me colocou esse nome por causa desse craque!?, comentou o torcedor Emerson Maliqueo, em uma publicação do clube que celebrava o último aniversário do ídolo com um vídeo da famosa jogada.

São raras na internet, ao contrário, as imagens de Emerson Pereira como jogador do Corinthians. Ao final de sua segunda passagem pelo Colo-Colo, em 2000, o volante chegou ao Parque São Jorge com a missão de amenizar a perda de Vampeta para a Internazionale, da Itália. No Brasil, os torcedores mais atentos tinham na memória o início de carreira dele pelo rival São Paulo. ?Melhorei muita coisa desde então, no exterior?, ele avisou, em sua apresentação, enquanto Marcelinho Carioca fazia uma ponderação sobre a contratação do colega. ?Não podemos achar que todos os problemas estão resolvidos com ele.?

Pereira não trouxe novos problemas ao Corinthians, mas também esteve longe de se destacar como nos tempos de Colo-Colo. Integrou o time campeão paulista de 2001 e atuou em 26 jogos, com um gol marcado ? em uma derrota por 2 a 1 para o Guarani, pelo Campeonato Paulista.

Apesar de a experiência como corintiano ter sido discreta, Emerson Pereira manteve algum vínculo com o clube. Defendeu o Corinthians, por exemplo, no showbol, como informou no Twitter com uma legenda em espanhol ? em respeito à maioria dos seus seguidores, com quem se reencontrará em Santiago.

Beyruth foi antecessor de Pereira

Emerson Pereira não é o único jogador que Corinthians e Colo-Colo têm em comum. Entre as décadas de 1960 e 1970, o centroavante Elson Beyruth, morto por complicações decorrentes de diabetes em 2012, tornou-se outro caso de alguém que produziu muito mais em Santiago do que em São Paulo.

Pelo Corinthians, foram apenas 22 jogos e quatro gols no período em que o clube amargava o maior jejum de títulos da sua história. No Colo-Colo, Beyruth anotou 119 vezes e sagrou-se bicampeão nacional (1970 e 1972), além de vice da Libertadores (1973). Também trabalhou na base da agremiação chilena, tal qual Pereira fará, e chegou a treinar o meia Jorge Valdivia, ex-palmeirense e adversário corintiano na atual edição do torneio continental.

Gazeta Esportiva

TAGS