Último jogador garimpado no Chile sofreu com timidez no CorinthiansSport Club Corinthians Paulista | Times | Esportes O POVO
PUBLICIDADE
Esportes


Último jogador garimpado no Chile sofreu com timidez no Corinthians

?Terminou o pesadelo de Cristian Suárez no Corinthians.? Foi assim que o jornal chileno La Tercera noticiou, há exatamente uma década, o fim da passagem do penúltimo jogador do país andino a atuar pelo clube brasileiro, que voltou a investir em uma revelação local em 2018. Criado nas categorias de base do Deportes Antofagasta (time [?]

09:00 | 31/07/2018

â??Terminou o pesadelo de Cristian Suárez no Corinthians.â? Foi assim que o jornal chileno La Tercera noticiou, há exatamente uma década, o fim da passagem do penúltimo jogador do país andino a atuar pelo clube brasileiro, que voltou a investir em uma revelação local em 2018.

Criado nas categorias de base do Deportes Antofagasta (time da sua cidade) e projetado pela Universidad de Chile, o meia Ángelo Araos chegou ao Corinthians também com uma aposta, tal qual ocorreu com o zagueiro Cristian Suárez. Ele tem 21 anos e é nascido 6 de janeiro de 1997, enquanto o seu compatriota, agora com 31, veio ao mundo em 6 de fevereiro de 1987.

Suárez enfrentou um período bem mais complicado para se firmar no Corinthians, que acabara de ser rebaixado para a Série B do Campeonato Brasileiro quando o contratou. Em sua apresentação, ele chamou mais a atenção dos jornalistas pela grande tatuagem de Jesus Cristo no braço direito (concedeu entrevista com a manga do uniforme erguida, após posar para fotógrafos) do que pelo discurso.

Entre os seus companheiros, Suárez também não se mostrou eloquente. Técnico corintiano à época, Mano Menezes comentava que a timidez do defensor chileno prejudicava muito a sua adaptação ao futebol brasileiro. Segundo Fabinho, ex-volante e hoje auxiliar de Osmar Loss no Corinthians, o defensor só se comunicava com os atacantes argentino Herrera e uruguaio Acosta, com quem falava espanhol.

Suárez pouco atuou como corintiano. Participou de quatro jogos entre fevereiro e abril de 2008 e despediu-se sem derrotas â?? esteve em campo em uma goleada por 6 a 0 sobre o Barras-PI, pela Copa do Brasil, em uma vitória por 1 a 0 sobre o Rio Preto, pelo Campeonato Paulista, em um empate por 2 a 2 com o Juventus, também pelo Estadual, e em um triunfo por 3 a 0 diante do Cene-MS, em um amistoso.

Devolvido ao Unión San Felipe, clube do seu município que havia o emprestado ao Corinthians, Cristian Suárez rodou bastante na última década. Defendeu o Chacarita Juniors, da Argentina, e o Olhanense, de Portugal, no exterior. No Chile, ainda jogou por Oâ??Higgins e Cobreloa, pelo qual se destacou a ponto de parar no ex-clube de Ángelo Araos, La U. De lá, seguiu para o seu time atual, o Everton de Viña del Mar.

Araos, no entanto, é visto no Chile como um atleta com mais potencial do que Suárez tinha nos tempos em que veio ao Corinthians como terceiro colocado na Copa do Mundo sub-20 de 2007. O meia já passou pela seleção principal do Chile, pela qual foi até parabenizado no Twitter por causa da vinda ao Brasil. O experiente volante Arturo Vidal, do alemão Bayern de Munique, também usou a rede social para felicitá-lo.

Caberá a Araos, emprestado por uma temporada e com acordo para firmar um contrato definitivo até meados de 2023, mostrar-se mais solto do que Suárez fora e dentro de campo a serviço do Corinthians. Quem já está no elenco promete ajudá-lo. â??Ainda é complicado conversar, mas vamos nos comunicar da melhor forma possívelâ?, prometeu o atacante Pedrinho, um ano mais jovem do que o novo colega.

Outros chilenos

Araos e Suárez não são os únicos chilenos da história do Corinthians. O volante Claudio Maldonado participou de oito jogos pelo clube em 2013, mas não foi garimpado no Chile â?? já tinha construído uma longa trajetória no futebol brasileiro àquela altura, defendendo São Paulo, Cruzeiro, Santos e Flamengo. Agora, é integrante da comissão técnica do Colo-Colo, adversário corintiano na Copa Libertadores da América.

Já o â??Superboyâ? Johnny Herrera foi o goleiro do Corinthians em nove jogos de 2006, sofrendo 13 gols. Assim como Araos, saiu da Universidad de Chile, clube em que, há até pouco tempo, tinha como companheiro o novo reforço corintiano.

Gazeta Esportiva

TAGS