PUBLICIDADE
Esportes

Romero supera marca de Ronaldo e tenta levar bola do jogo para casa

Depois de colocar a bola três vezes no gol na manhã deste domingo, Ángel Romero botou o instrumento de trabalho debaixo do braço para guardar uma recordação da sua grande atuação na vitória por 4 a 1 sobre o Vasco, no Mané Garrincha. Acabou impedido por André Souza, supervisor de futebol do clube adversário, mandante [?]

14:00 | 29/07/2018

Depois de colocar a bola três vezes no gol na manhã deste domingo, Ángel Romero botou o instrumento de trabalho debaixo do braço para guardar uma recordação da sua grande atuação na vitória por 4 a 1 sobre o Vasco, no Mané Garrincha. Acabou impedido por André Souza, supervisor de futebol do clube adversário, mandante do jogo em Brasília. Mais tarde, recebeu o seu prêmio no vestiário.

?Vou levar a bola para casa. Será a primeira vez em que levo no Brasil. No Paraguai, já levei algumas. Hoje, graças a Deus, converti três gols. Agradeço à minha família, aos meus companheiros e à diretoria, que sempre me apoia?, comentou Romero, ao Premiere, antes de ser barrado pelo dirigente vascaíno à beira do campo. ?Ele merece levar a bola, a camisa, o que quiser?, contrapôs o técnico Osmar Loss, sorrindo.

Seja como for, o jogo contra o Vasco já serviu para aumentar a história de Romero no Corinthians. Os três gols fizeram o atacante alcançar os 37 a serviço do clube paulista, em 196 partidas disputadas. A marca superou a de Ronaldo, que anotou 35 em 69 atuações, entre 2009 e 2010.

?No Cerro Porteño, fiz três gols muitas vezes. No Brasil, foi a primeira. Fico contente pelos gols, mas o mais importante é o time. Independentemente de quem faça os gols, é o Corinthians que ganha, que soma os três pontos?, priorizou Romero.

O paraguaio, que já havia feito os gols corintianos no triunfo por 2 a 0 sobre o Cruzeiro, na rodada passada do Campeonato Brasileiro, tem sido beneficiado pela sua mudança de posicionamento. Ele foi deslocado da ponta direita para o centro a partir da contusão de Jonathas, atuando como um falso centroavante.

?Para um atacante, é importante fazer gols. Hoje, estou mais centralizado, mais à vontade. Tenho um pouco menos de compromisso com a marcação do que quando jogava na direita. Estou feliz, marcando gols e ajudando o meu time a ganhar?, celebrou Romero.

Gazeta Esportiva

TAGS