PUBLICIDADE
Esportes

Evento de Neymar tem belgas em destaque e idolatria dividida

Em meio à retomada da sua rotina após o que considerou o ?momento mais difícil da sua carreira?, o atacante Neymar começou a promover nesta sexta-feira um evento de futebol que leva a sua assinatura e é realizado no seu instituto, na Praia Grande. Com mais de 60 países participantes e opiniões divididas a respeito [?]

17:45 | 20/07/2018

Em meio à retomada da sua rotina após o que considerou o ?momento mais difícil da sua carreira?, o atacante Neymar começou a promover nesta sexta-feira um evento de futebol que leva a sua assinatura e é realizado no seu instituto, na Praia Grande. Com mais de 60 países participantes e opiniões divididas a respeito do grande responsável pela ocasião, o destaque, curiosamente, ficou pelos belgas.

Com uma diversidade pouco vista nos outros times, desde um pivô alto e negro até um ponta branco e miúdo, basicamente como a seleção de futebol profissional, a Bélgica não conseguiu repetir o desempenho do Mundial.

Mesmo apoiada e acompanhada por uma equipe de imprensa do seu país, devidamente trajada, a equipe se viu em um inesperado empate por 2 a 2 com o Japão, claramente inferior tecnicamente, assim como Lukaku, Hazard e companhia. Na hora de decidir, porém, os nipônicos do ?Neymar Jrs Five? mostraram mais maturidade que os da Copa e impuseram uma surpreendente derrota ao rival por 5 a 2.

No campeonato idealizado pelo atleta do Paris Saint-Germain, times de cinco atletas se enfrentam em um campo com de grama sintética com dimensões semelhantes às do futebol de salão. O objetivo é marcar gol em uma pequena meta colocada nas linhas de fundo, em que nenhum atleta pode pisar a um metro de distância. Quem sofrer um gol perde um atleta em campo, transformando a disputa em 5 x 4, depois 5 x 3, 5 x 2 e assim sucessivamente até que reste apenas uma equipe em campo.

Fervoroso apoiador dos belgas, o jornalista Rodrigo Bissers, trajado com um terno nas cores do seu país, fez uma avaliação de como os europeus se veem no futebol após a história eliminação do Brasil nas quartas da Copa da Rússia. ?A verdade é que este traje é uma brincadeira comum entre os belgas. Depois, claro, como estamos com a televisão belga acompanhando a equipe belga, viemos assim. Tinha que vir com estas cores depois de ganhar do Brasil?, brincou o extrovertido comunicador, filho de mãe argentina e dono de um espanhol fluente.

Ansioso para encontrar Neymar, ele pendeu para o lado que segue idolatrando o brasileiro independente da atuação abaixo das expectativas no Mundial. ?Neymar, penso eu, não estava pronto. Três meses lesionado, creio que não estava mentalmente e fisicamente pronto para o Mundial. Segue sendo um dos melhores, tem só que concentrar em jogar e não dar um show?, ressaltou ele, ponderando o motivo de Neymar dividir as opiniões até em seu próprio campeonato.

?O pessoal falou muito disso, mas ele sempre foi assim. Talvez no Mundial tenha exagerado, mas quem acompanha sabe que o Neymar joga desse jeito?, disse o colombiano Juan Duran. Dois atletas do Azerbaijão, que não quiseram dar o nome na hora do papo, avaliaram o ex-santista como ?ainda um ídolo, mas menos do que antes? ao responderem sobre o caso.

Em campo, 75 equipes entre femininas e mistas brigaram pelas vagas na fase final da competição, que será disputada neste sábado, com a presença do craque. Além dele, um outro jogador de clubes grande de São Paulo também é esperado, sem a especificação de quem será. Gabriel Jesus, convidado, passou por uma cirurgia para corrigir desvio de septo e não poderá comparecer.

*Repórter viajou a convite de Neymar Jr?s Five

Gazeta Esportiva

TAGS