PUBLICIDADE
Esportes

Balbuena evita desculpas e vê revés em casa como lição para o futuro

O zagueiro Balbuena reconheceu que o time do Corinthians está cansado devido à sequência que lhe impôs seis partidas disputadas no espaço de apenas 18 dias, mas pediu que isso não seja usado como desculpa para o mau futebol apresentado na derrota por 2 a 1 para o Independiente-ARG, na noite da quarta-feira, na Arena, [?]

11:45 | 03/05/2018

O zagueiro Balbuena reconheceu que o time do Corinthians está cansado devido à sequência que lhe impôs seis partidas disputadas no espaço de apenas 18 dias, mas pediu que isso não seja usado como desculpa para o mau futebol apresentado na derrota por 2 a 1 para o Independiente-ARG, na noite da quarta-feira, na Arena, que deixou bastante embolado o Grupo 7 da Copa Libertadores da América.

?O corpo sente, já desde o jogo contra o Vitória a gente já sentia um pouco o cansaço, muitas viagens, acordar cedo, aeroporto. Somando a intensidade e o cansaço do jogo leva a uma certa fadiga. Mas não colocamos isso como desculpa?, avaliou o paraguaio, reconhecendo os méritos do adversário.

?Tem que dar um pouco do mérito para eles também, fizeram uma marcação adiantada que não deixou a gente trabalhar a bola dentro da nossa defesa. Fizeram um gol muito rápido também, que dá confiança para os caras, faz eles jogarem melhor. Enfim, foi um grande jogo da equipe deles?, continuou o capitão, sem querer apontar para a expulsão do atacante Emerson Sheik, aos 35 minutos do segundo tempo, como algo determinante para o resultado.

?Hoje (quarta) foi tudo muito atípico, o rendimento nosso. O Sheik, que não é assim, acabou sendo expulso. Pelo menos eu nunca vi ele fazer algo nesse sentido. Deu tudo errado. Não tem desculpa o que ele fez, mas a gente sabe que ele não é disso?, continuou o jogador.

Para Balbuena, o Alvinegro tem que levar o revés como um aprendizado para os jogos que restam ao Timão tanto na Libertadores, contra Lara, no dia 17, e Millonarios, no dia 24 deste mês, quanto na Copa do Brasil. Na semana que vem, no dia 10 de maio, os comandados de Carille encaram o Vitória na busca por uma vaga para a próxima fase do torneio eliminatório.

?Olha, eu posso garantir que ninguém entra para tomar gol que nem a gente tomou, mas às vezes acontece. Acho que temos de tomar como aprendizado que, jogar contra um rival de hierarquia como é o Independiente não te dá a chance de entrar da forma como entramos. Esses jogos demandam mais do que o futebol que nós apresentamos?, concluiu.

Gazeta Esportiva

TAGS