PUBLICIDADE
Esportes

Título sobre rival consagra volta de ídolos corintianos de 2012

O Corinthians campeão paulista de 2018 reúne em seu elenco quatro dos mais vitoriosos jogadores da sua história. Já contando com o goleiro Cássio e o meia Danilo, o clube trouxe de volta nesta temporada outros dois campeões continentais e mundiais de 2012, o volante Ralf e o atacante Emerson Sheik. Segundo o técnico Fábio [?]

20:00 | 08/04/2018

O Corinthians campeão paulista de 2018 reúne em seu elenco quatro dos mais vitoriosos jogadores da sua história. Já contando com o goleiro Cássio e o meia Danilo, o clube trouxe de volta nesta temporada outros dois campeões continentais e mundiais de 2012, o volante Ralf e o atacante Emerson Sheik.

Segundo o técnico Fábio Carille, a aposta nos veteranos se deu para a equipe lidar melhor com momentos de pressão ao longo da temporada, principalmente na Copa Libertadores da América. Ele tinha em mente o que o plantel de 2017, ainda com a experiência do centroavante Jô a seu favor, enfrentou ao cair de rendimento em meio à vitoriosa campanha no último Campeonato Brasileiro.

Já no Campeonato Paulista de 2018, contudo, o Corinthians tirou proveito da liderança dos seus atletas mais velhos. O volante Ralf virou até titular de última hora no segundo jogo da decisão contra o Palmeiras, barrando Gabriel para oferecer mais equilíbrio defensivo ao time que precisava reverter uma derrota por 1 a 0 no jogo de ida.

Sheik, por sua vez, assinou um contrato curto, válido somente até a metade do ano, porque havia dúvidas sobre a sua utilidade ao Corinthians. Aos 39 anos, contudo, o jogador mais velho da história do clube mostrou estar disposto a colaborar. Deixou a fama de baladeiro e os constantes atrasos de lado, adotou um cronograma diferenciado de treinamento, não se queixou da reserva e passou a ser visto como uma peça importante por Carille. Agora, deverá prorrogar o seu vínculo.

Entre os que já estavam no elenco, o goleiro Cássio calou definitivamente os críticos que, um dia, quiseram Walter no seu lugar e, assim como ocorreu em 2017, assumiu a braçadeira de capitão corintiano para erguer o troféu do Campeonato Paulista. Ganhou confiança para integrar a Seleção Brasileira de Tite na Copa do Mundo da Rússia.

Danilo, por sua vez, foi ovacionado por torcedores sempre que solicitado a pisar no gramado de Itaquera. Recuperado da grave fratura na perna direita sofrida em 2016, o meia se transformou em um centroavante no final da carreira e tenta suprir a carência que o Corinthians tem no setor.

Há mais um remanescente de 2012 entre os campeões estaduais de 2018 ? o próprio Fábio Carille. Com um impressionante início de carreira, o antigo auxiliar de Tite à época do Mundial de Clubes guardava consigo as apaixonadas demonstrações de apoio da Fiel como grande lembrança daquele período. Hoje, o chefe de Ralf, Sheik, Cássio e Danilo tem mais uma memória e tanto ? a conquista sobre o maior rival, em um Allianz Parque com torcida única, dois dias após um histórico treinamento aberto para 37.000 corintianos.

Gazeta Esportiva

TAGS