PUBLICIDADE
Esportes

Técnica impressiona, mas físico deve atrasar utilização de Matheus

O Corinthians fez uma aposta a longo prazo em Matheus, centroavante contratado após se destacar em seis meses como profissional no ABC-RN, mas a diretoria sabe que o torcedor quer uma solução imediata para a posição do garoto, atualmente ocupada por Júnior Dutra, um ponta improvisado. Apesar da boa técnica, porém, o jovem de 19 [?]

07:30 | 23/02/2018

O Corinthians fez uma aposta a longo prazo em Matheus, centroavante contratado após se destacar em seis meses como profissional no ABC-RN, mas a diretoria sabe que o torcedor quer uma solução imediata para a posição do garoto, atualmente ocupada por Júnior Dutra, um ponta improvisado. Apesar da boa técnica, porém, o jovem de 19 anos terá que esperar algum tempo até pode atuar sem limitações.

Apesar da rotina de futebóis incessante quando morava em Natal, atuando em diversas modalidades de disputa, Matheus está abaixo do restante do elenco em termos físicos. O percentual de gordura, por exemplo, precisa ser reduzido razoavelmente, apesar do biotipo magro do atleta. A ideia é que ele ganhe massa magra e, dessa forma, consiga ter o desempenho físico necessário para aguentar 90 minutos de futebol.

A força, por sinal, é outro aspecto fundamental do trabalho desenhado para o jogador. Ele provavelmente passará por uma rotina intensiva de acompanhamento nutricional para chegar ao nível esperado para um atleta da sua posição, que passa a maior tempo em meio aos zagueiros adversários. O ponto a seu favor foi a velocidade, avaliada como boa nos primeiros testes.

Mesmo com um cronograma de fortalecimento que deve se estender até o meio do ano, nada impede que Matheus seja utilizado pontualmente nas partidas, com tempos que variam de 15 a 30 minutos inicialmente e serão aumentados de forma gradativa.

Ainda que a impressão dos exames não tenha sido boa, o atacante compensou isso logo na primeira atividade, mostrando boa capacidade de finalização. Em treino coletivo em campo reduzido, por sinal, anotou um dos tentos da sua equipe ao driblar Cássio. Tornou-se consenso que, ao menos em potencial, a aposta corintiana tem os requisitos necessários para vingar.

Outro ponto que conta a favor do atleta é a frieza com que encara situações normalmente deslumbrantes para alguém de origem humilde como a sua. Pessoas que cuidam da sua carreira asseguram que ele não sentiria, por exemplo, caso fosse relacionado para enfrentar o Palmeiras, no sábado. ?O moleque é frio?, comentou uma fonte ligada ao atleta.

Matheus, por sinal, chegou tímido ao Corinthians em seu primeiro trabalho com o restante dos companheiros, mas mais pela dificuldade em se aprofundar nas conversas. Adolescente à época da conquista da Libertadores, foi recebido com abraços e desejos de boa sorte por nomes como Danilo e Emerson Sheik, mas não se impressionou com as ocasiões.

No final, a demonstração de boa técnica foi tamanha que ele deu segurança para a comissão realizar o empréstimo de Carlinhos ao Oeste, deixando apenas Kazim como nome originalmente da posição. Como o turco não deve nem ser inscrito na fase de grupos da Libertadores, o jovem tem boas chances de ser o único centroavante inscrito na competição continental.

Gazeta Esportiva

TAGS