PUBLICIDADE
Esportes

Rodriguinho celebra ?churrascão? na folga pós-Derby: ?No amor, é legal?

Autor de um gol e responsável por sofrer o pênalti que originou o outro na vitória do Corinthians por 2 a 0 sobre o Palmeiras, no último sábado, o meia Rodriguinho curtiu a sua folga com um churrasco rodeado de amigos antes de se reapresentar ao técnico Fábio Carille, nesta segunda. Contente pela grande repercussão [?]

13:45 | 26/02/2018

Autor de um gol e responsável por sofrer o pênalti que originou o outro na vitória do Corinthians por 2 a 0 sobre o Palmeiras, no último sábado, o meia Rodriguinho curtiu a sua folga com um churrasco rodeado de amigos antes de se reapresentar ao técnico Fábio Carille, nesta segunda. Contente pela grande repercussão da sua atuação, que incluiu belo drible por entre as pernas de Felipe Melo, ele abriu um sorriso ao descrever a celebração.

?Meu domingo foi bom. Várias mensagens, não consegui responder a todos. No amor é legal. Domingão de folga, pudemos aproveitar com a família e os amigos fazendo um churras. Zoei o porteiro, que é palmeirense?, disse o jogador, explicando por que acha que viu tantos ?memes? e pequenos vídeos registrando o lance.

?Acho que, por se tratar do Felipe, a caneta o pessoal também mandou bastante. Os dois lances, tanto o drible quanto o gol, foram bons. É legal, mas também não pode deixar subir à cabeça?, avaliou o armador, que, suspenso, não viaja com o elenco para a Colômbia, local da estreia do Timão na Libertadores, quarta-feira, contra o Millonarios-COL, em Bogotá.

Dessa forma, ele poderá curtir de forma um pouco mais prolongada do que o restante do elenco as láureas por ter derrubado a invencibilidade do Palmeiras no ano. Colocando a atuação como uma das melhores da carreira ao lado da final do Paulista, contra a Ponte Preta, e da semifinal daquele mesmo Estadual, diante do São Paulo, Rodriguinho ensinou como deixou os dois palmeirenses no chão antes de abrir o placar no Derby.

?Uma jogada antes, o Antônio Carlos tinha adivinhado um passe que o Jadson tinha me dado no funil. Vi que ele gosta muito de adivinhar passe. Na hora que surgiu o lance do gol, quando limpei a jogada, resolvi dar o corte porque imaginava que ele faria a mesma coisa. Acabou dando mais do que certo, né? Saiu aquele gol lá que fiquei muito feliz (risos)?, observou, creditando ao treinador os méritos pelo triunfo.

?Ele chamou a gente na sala, perguntou o que nós achávamos. Fiquei sem palavras, não tinha muita coisa para falar, fiquei meio receoso da ideia. Mas ele estuda para isso, vê os jogos, tem o Cifut, que analisa os outros times. Foi bacana. Acabamos comprando a ideia, fizemos tudo o que ele pediu. Deu muito certo. Foi uma sacada de mestre?, elogiou o camisa 26, mais uma vez desdenhando das reclamações do adversário.

?Eu acho que eles não tem motivo para reclamar, os lances foram claros. Pela demora que deu o pênalti, mas todo mundo viu que foi incontestável. O segundo pênalti também não tem o que falar. Não sei do que estão reclamando?, concluiu.

Gazeta Esportiva

TAGS