PUBLICIDADE
Esportes

Mateus esquece Pet e adota Vital para honrar a mãe assassinada

O reforço mais novo do Corinthians para esta temporada, Mateus Vital, foi apresentado pelo clube na tarde desta quinta-feira, no CT Joaquim Grava. Adquirido após fazer um bom Campeonato Brasileiro pelo Vasco da Gama, o armador, chamado de Mateus Pet durante toda a categoria de base, explicou sua opção pelo sobrenome que carregará na camisa [?]

18:30 | 18/01/2018

O reforço mais novo do Corinthians para esta temporada, Mateus Vital, foi apresentado pelo clube na tarde desta quinta-feira, no CT Joaquim Grava. Adquirido após fazer um bom Campeonato Brasileiro pelo Vasco da Gama, o armador, chamado de Mateus Pet durante toda a categoria de base, explicou sua opção pelo sobrenome que carregará na camisa corintiana a partir deste ano, uma homenagem à sua falecida mãe, Viviane, em 2007.

?Comecei no Vasco com 5 anos, aos 9 perdi minha mãe voltando de um treino, foi um baque na minha vida?, comentou o garoto, com cara de adolescente, que viu a mãe ser atingida por um tiro em um assalto quando deixava mais um treino. O pai, Jorge, chorando, acompanhou o depoimento em uma das cadeiras da sala de imprensa do CT, disfarçando a emoção com um óculos escuro. O baque foi tamanho que, a princípio, ele nem queria mais voltar a jogar futebol.

?Pensei em parar, mas meu pai e minhas irmãs me ajudaram. E o Vasco esteve do meu lado a todo momento, uma psicóloga ficou quase 24h comigo. Claro que, ao chegar aqui passa um filme forte, foi o momento mais difícil da minha vida. Mas agora quero pensar em jogar futebol?, disse o armador, já com a ideia de como homenagear a mãe.

?Acho que agora vou deixar Mateus Vital, para honrar o nome da minha mãe que hoje está no céu. Já havia mudado de Pet no ano passado. Como subi para o profissional com esse nome, o pessoal estava comparando muito. Tomei a decisão com a família, até para homenagear minha mãe, ficou melhor. Sou o Mateus, o Pet é o Pet. Mas com qualquer nome que levar na camisa quero mostrar meu melhor, meu futebol?, disse o atleta, sem se assustar com o Timão.

?Acho que no futebol não tem essa de assusta ou não, tem que entrar e jogar. Tenho 19 anos e vou jogar com jogadores de 30. Tem que mostrar, me adaptar?, continuou o armador, muito bem avaliado pelo técnico Fábio Carille, já de olho em conquistar a torcida do campeão brasileiro.

?Um clube gigantesco no Brasil e mundialmente, que ganha muitos títulos, um time muito aguerrido, espero passar isso, ser um jogador aguerrido. Essa torcida louca é apaixonada pelo clube?, concluiu Vital.

Gazeta Esportiva

TAGS