PUBLICIDADE
Esportes

Fagner espera que reforços cheguem cientes do ?espírito do Corinthians?

O lateral direito Fagner não demonstra muita preocupação com a atuação do Corinthians no mercado de transferências, entre dezembro e janeiro. Para o experiente jogador, é importante apenas que quem chegar se adeque ao perfil do elenco chefiado por Fábio Carille. ?Tenho certeza de que os reforços já entendem mais ou menos funciona, como é [?]

19:45 | 05/12/2017

O lateral direito Fagner não demonstra muita preocupação com a atuação do Corinthians no mercado de transferências, entre dezembro e janeiro. Para o experiente jogador, é importante apenas que quem chegar se adeque ao perfil do elenco chefiado por Fábio Carille.

?Tenho certeza de que os reforços já entendem mais ou menos funciona, como é o espírito do Corinthians. No dia a dia, a gente vai se conhecendo melhor, passando algumas coisas. Teremos boa vontade para ajudar quem chega?, comentou Fagner, presente na gravação do Troféu Mesa Redonda, promovido pela TV Gazeta, nesta terça-feira.

Por enquanto, o Corinthians já acertou as contratações do centroavante Júnior Dutra e do volante Renê Júnior, que disputaram o último Campeonato Brasileiro por Avaí e Bahia, respectivamente. O clube busca jogadores não muito renomados, já que possui escassos recursos para investir.

A filosofia citada por Fagner é justamente a da humildade. Em 2017, o Corinthians iniciou a temporada bastante desacreditado, porém valorizou todo o seu plantel, foi aguerrido e acumulou as conquistas dos títulos paulista e brasileiro.

?Jogadores que não vinham atuando conseguiram fazer gols importantes. Isso mostra a força do grupo. O Fábio (Carille) dá importância a todos nós. Será assim também no ano que vem, para voltarmos bem na pré-temporada?, avisou lateral direito.

Mesmo bem-sucedido, o Corinthians enfrentou momentos de dificuldades, principalmente no segundo turno do Campeonato Brasileiro. ?Sempre acreditamos no trabalho. É claro que, às vezes, as coisas acontecem de uma forma que não prevemos. Só que é uma felicidade imensa de, com trabalho e sabedoria, dar a volta por cima nos momentos de críticas. Nenhum jogador precisou falar nada?, recordou Fagner.

Gazeta Esportiva

TAGS