PUBLICIDADE
Esportes

Dobro do salário e finanças do Corinthians impediram ?fico? de Jô

Jô afirmou que seguiria no Corinthians após a conquista do Campeonato Brasileiro

05:45 | 24/12/2017

O centroavante Jô deixou o gramado no dia 15 de novembro, após a vitória por 3 a 1 sobre o Fluminense, que assegurou o título brasileiro ao Corinthians, já vislumbrando sua sequência pelo clube do coração. Entre a promessa de ficar para ganhar a Libertadores e o início da temporada, porém, uma proposta irrecusável do Nagoya Grampus-JAP, em meio à delicada situação financeira do Alvinegro, mudou os seus planos.

A pessoas próximas, o atacante já havia avisado que dificilmente deixaria o Timão para atuar em outro lugar. Aos 30 anos, ele via no clube a última chance também de jogar outra Copa do Mundo, na Rússia, além de ter se readaptado totalmente à vida na cidade de São Paulo. O problema foi que ele próprio não teve grande poder de veto para impedir sua ida à Ásia por 11 milhões de euros (R$ 43 milhões).

Anteriormente, Jô havia recusado consultas da China, mas os valores reais não passaram perto do montante colocado pelos japoneses. Atleta de renome internacional e com uma Copa do Mundo no currículo, ele é visto como o ?presente? do Nagoya para a sua torcida, que acabou de ver o time ascender à elite do futebol local.

Informada da oferta pelo empresário Giuliano Bertolucci, a diretoria corintiana colocou-a no patamar de ?irrecusável? por dois principais fatores: receberia 100% do dinheiro à vista, ganhando fluxo de caixa para trabalhar até o início da temporada, e, provavelmente, não teria outra chance de negociar um jogador com a idade de Jô.

A situação financeira, por sinal, fez com que Jô recebesse a notícia dos valores envolvidos já sem muito o que fazer. Com o clube endossando a saída para ajudar no seu balanço financeirp, ele ainda seria recompensado com um salário que chega a ultrapassar o dobro dos vencimentos que recebe hoje em dia.

Com exames marcados para esta segunda-feira, Jô deve fazer um pronunciamento oficial assim que a diretoria oficializar a transferência. Emocionado pelo carinho que recebeu da torcida em 2017, ele quer deixar uma boa impressão na sua saída, mesmo descumprindo a promessa feita em meio à emoção da conquista.

Gazeta Esportiva

TAGS