PUBLICIDADE
Esportes

Aliado de Andrés, Ronaldo descarta virar diretor do Corinthians

O ex-jogador Ronaldo se colocou à disposição para ajudar o Corinthians numa eventual vitória de Andrés Sanchez na eleição presidencial de 2018, mas descartou assumir algum cargo na diretoria. Mandatário do clube entre 2007 e 2011, o hoje conselheiro alvinegro já avisou em campanha que conta com os serviços do pentacampeão mundial caso saia vitorioso [?]

12:15 | 10/12/2017

O ex-jogador Ronaldo se colocou à disposição para ajudar o Corinthians numa eventual vitória de Andrés Sanchez na eleição presidencial de 2018, mas descartou assumir algum cargo na diretoria. Mandatário do clube entre 2007 e 2011, o hoje conselheiro alvinegro já avisou em campanha que conta com os serviços do pentacampeão mundial caso saia vitorioso no pleito.

Juntos, os dois trabalharam pela reestruturação do clube e comemoraram os títulos do Campeonato Paulista e da Copa do Brasil de 2009. Depois, quando Ronaldo já havia se aposentado, o remodelado Timão findou o trauma da Libertadores em 2012 antes de se sagrar campeão mundial no fim daquele ano.

?Ele já me colocou dentro, né (risos). Eu apoio o Andrés com certeza, porque a gente fez um projeto maravilhoso, mudamos a história do clube. Um clube tão grande como o Corinthians, com zero de estrutura que tinha antes, era inadmissível?, afirmou Ronaldo, durante evento no campo do Jardim Irene, em São Paulo, na manhã deste domingo.

?Essa mudança foi fundamental para que o Corinthians se destacasse no futebol brasileiro. Tudo isso graças à criação de uma infraestrutura e que trouxe novas receitas para o clube investir no futebol?, acrescentou o Fenômeno, hoje com 41 anos.

Indagado se assumiria algum cargo na diretoria do Corinthians, Ronaldo, que mora em Madrid, na Espanha, afirmou que contribuiria somente à distância. Ciente de sua influência no mercado, o ex-atacante projetou ajudar Andrés com conselhos e ideias para alavancar as receitas do clube.

?Não tenho ambição de vir ao Brasil e trabalhar no futebol. Estou vendo algumas oportunidades no exterior, mas logicamente estarei muito perto do Andrés. E, se ele quiser meus conselhos, minhas ideias, meu prestígio? Tudo pelo Corinthians. Além de ser o candidato ideal, a torcida e os sócios já o conhecem. Eu estando próximo também posso ajudar o Corinthians com novas receitas?, concluiu.

A eleição presidencial e para composição do Conselho Deliberativo do Corinthians está marcada para 3 de fevereiro. Além de Andrés Sanchez, Antonio Roque Citadini, Felipe Ezabella, Paulo Garcia e Romeu Tuma Júnior estão na disputa pela sucessão de Roberto de Andrade.

Gazeta Esportiva

TAGS