PUBLICIDADE
Esportes

Adauto mantém confiança no título mesmo com perda de vantagem

O diretor de futebol do Corinthians, Flávio Adauto, mais uma vez foi enfático ao tratar das possibilidades de título do Corinthians. Um dia depois de afirmar que o Alvinegro ?fatalmente será campeão? do Campeonato Brasileiro, mesmo com a derrota por 2 a 1 para o Botafogo, no Nilton Santos, ele manteve a confiança e disse [?]

15:30 | 24/10/2017

O diretor de futebol do Corinthians, Flávio Adauto, mais uma vez foi enfático ao tratar das possibilidades de título do Corinthians. Um dia depois de afirmar que o Alvinegro ?fatalmente será campeão? do Campeonato Brasileiro, mesmo com a derrota por 2 a 1 para o Botafogo, no Nilton Santos, ele manteve a confiança e disse que não vai se abalar com a aproximação dos rivais Santos e Palmeiras, ambos seis pontos atrás.

?Não vai ser por isso que nós vamos nos abalar. Melhorando um pouquinho o futebol nós continuamos lá em cima?, conversou o dirigente, que se notabilizou por declarações polêmicas desde que assumiu o cargo, no ano passado. Para ele, o Timão precisa apenas voltar a jogar um futebol convincente para retomar sua caminhada rumo ao título nacional.

Nada disso, porém, impediu que ele reclamasse mais uma vez da arbitragem de Rodrigo Batista Raposo, do Distrito Federal, que ignorou um pênalti sobre Jô, já nos acréscimos da partida. Na avaliação do dirigente, o primeiro a tratar como certeza a conquista do Nacional, faltou tato na hora de escolher o juiz da partida.

?A vantagem continua, não é isso que vai tirar o título do Corinthians. Mas você colocar um árbitro que quase ninguém conhece é um risco demasiado. Não sei se foi isso que determinou a derrota. Não vou procurar escudos. Todo mundo viu, no exato momento sabíamos que era um erro. Espero que as próximas arbitragens não prejudiquem o Corinthians ou nossos adversários?, avaliou, sem descartar a chance de reclamar na Comissão Nacional de Arbitragem.

?Não sei se vamos fazer isso, mas é uma medida que eles (CBF) devem tomar mesmo que a gente não peça, porque você tinha um jogo muito difícil para árbitro de primeira linha. Decidia uma vaga de Libertadores para o Botafogo e uma liderança para o Corinthians?, concluiu Adauto.

Gazeta Esportiva

TAGS