PUBLICIDADE
Cearenses
NOTÍCIA

MP recomenda que partidas no Castelão após horário do toque de recolher não sejam realizadas

Decreto do Governo não permite deslocamentos após as 22 horas. Houve entendimento entre CBF e o Estado para liberação da partida, que acaba por volta das 23 horas

Iara Costa
22:06 | 19/02/2021
Pandemia do novo coronavírus faz com que o Castelão permaneça vazio durante os jogos (Foto: Aurelio Alves)
Pandemia do novo coronavírus faz com que o Castelão permaneça vazio durante os jogos (Foto: Aurelio Alves)

O Ministério Público do Estado (MP-CE) recomendou nesta sexta-feira, 19, aos secretários da Casa Civil e da Segurança Pública e Defesa Social do Estado, à Federação Cearense de Futebol (FCF), à Confederação Brasileira de Futebol e ao times cearenses, Ceará e Fortaleza, que qualquer partida de futebol marcada para o horário em que estejam em vigor o novo decreto estadual não seja realizada. 

O horário vai de encontro às duas próximas partidas marcadas para ocorrer no Castelão. Neste sábado, 20, às 21 horas, o Fortaleza recebe o Bahia e na próxima quinta-feira, 25, o Ceará joga contra o Botafogo. Ambas as partidas são válidas pela Série A do Campeonato Brasileiro 2020.

Por meio de nota, o Ministério Público informou que as entidades têm até sábado, 20, para informar sobre o cumprimento da recomendação, sob pena da adoção de medidas legais cabíveis. Vale ressaltar que, no início desta sexta-feira, 19, o Governo do Estado confirmou a realização dos confrontos de Fortaleza e Ceará. Segundo a assessoria do Governo, por ser um evento fechado para o público, com o respeito aos protocolos sanitários estabelecidos, o confronto entre os clubes pode acontecer no Castelão.

A partida é de caráter decisivo para ambos os times. O Fortaleza procura confirmar permanência na Série A do Brasileirão. Com 41 pontos, Fortaleza precisa vencer o jogo em casa para se confirmar sem precisar de outros resultados. Se empatar, depende de tropeços de Vasco e Goiás e em caso de derrota a decisão fica para a última rodada. Já o Ceará disputa a confirmação da vaga na Copa Sul-Americana.

O impasse ocorreu por conta do decreto nº 33.936, vigente desde o dia 17 janeiro, em que o Poder Público estabeleceu o “toque de recolher” às 22 horas, confrontando o encerramento da partida dado o horário pré-definido da CBF. A Confederação Brasileira de Futebol não se mostrou flexível na mudança do cronograma.