PUBLICIDADE
Cearenses
NOTÍCIA

Clubes cearenses se unem em prol do retorno do futebol

Ceará, Fortaleza e Ferroviário, através de redes sociais, emitiram nota conjunta

Gabriel Lopes
18:45 | 05/07/2020
Campeonato Cearense não tem previsão de retorno até o dia 20 de julho (Foto: FÁBIO LIMA)
Campeonato Cearense não tem previsão de retorno até o dia 20 de julho (Foto: FÁBIO LIMA)

O retorno das partidas de futebol não está incluso na terceira fase de retomada das atividades, divulgado pelo Governo do Estado do Ceará neste sábado, 4, que terá duração entre os dias 6 e 20 de julho. Diante desse cenário, a Federação Cearense de Futebol (FCF), a APCDEC (Associação Profissional dos Cronistas Desportivos do Estado do Ceará), além dos presidentes de Ceará e Fortaleza, Robinson de Castro e Marcelo Paz, protestaram em favor do retorno imediato do futebol no Estado. Neste domingo, 5, Ceará, Fortaleza e Ferroviário, por meio de nota conjunta, apresentaram pronunciamento, com listagem de argumentos para a volta das partidas.

Seis argumentos foram apresentados. Sediar a fase final da Copa do Nordeste (terá sede única), que está entre Ceará e Bahia (Pernambuco anunciou desistência), é um dos objetivos, pois, de acordo com a nota, movimentaria o setor hoteleiro e gastronômico local. Os clubes também alegam que a atividade apresenta alto impacto econômico e baixo risco à saúde dos envolvidos, tendo em vista os protocolos utilizados para a situação.

+FCF se posiciona sobre não liberação dos jogos na 3ª fase da retomada

A data de início do Campeonato Brasileiro das séries A, B e C, marcado para o dia 8 de agosto e com duração até fevereiro de 2021, foi outro fator levado em consideração pelos clubes, pois, dessa forma, não haveria datas suficientes para a disputa do estadual. Além disso, a nota ressaltou o papel de entretenimento do esporte, que, segundo ela, seria algo positivo para a população, que "tanto sofre e se abala com o isolamento social".

Os clubes também relatam que, até o momento, não tiveram a oportunidade para apresentar argumentos e anseios para o Governo do Estado, o que faz com que ele nutram "sentimento de impotência e indignação".

+APCDEC pressiona autoridades para retorno do futebol no Estado