PUBLICIDADE
Esportes

Jogo do acesso do Barbalha tem confusão, invasão, tiros de balas de borracha e rojão

Árbitro da partida entre Barbalha e Icasa relata episódios do tumultuado confronto no estádio Inaldão

20:09 | 18/06/2018
NULL
NULL

[FOTO1] 

O árbitro Adriano Barros Carneiro relatou na súmula toda a confusão registrada na vitória do Barbalha por 3 a 1 sobre o Icasa, no estádio Inaldão. O jogo foi paralisado duas vezes por conta de arremesso de objeto e invasão a campo por parte de torcedores do Verdão do Cariri. Segundo o juiz, Polícia Militar (PM) precisou intervir com tiros de balas de borracha e o vestiário da arbitragem chegou a ser arrombado após a partida.

%2b Confira tudo sobre o Ceará

Confira tudo sobre o Fortaleza

A primeira paralisação da partida ocorreu aos 10 minutos do 1º tempo, quando torcedores do Icasa arremessaram latas de cerveja em direção a um dos assistentes de arbitragem. O jogo permanece parado por 5 minutos até ser reiniciada com a ajuda do policiamento.

A segunda paralisação ocorreu aos 44 minutos do 2º tempo, resultando em episódios mais tensos e no fim precoce do duelo em campo. Houve invasão por parte de torcedores do Icasa, que pularam o alambrado e partiram em direção a um dos assistentes e aos próprios jogadores do Verdão do Cariri. Mais uma vez o policiamento agiu retirando os invasores do gramado. A PM deu tiros de bala de borracha para conter as ações dos infratores.

"A partir deste momento, integrantes da referida torcida começaram a arremessar pedras, pedaços de madeira, garrafas plásticos com líquido e latas de cerveja no campo de jogo, próximo à área de atuação do assistente 02. Na arquibancada, onde se encontravam os integrantes da torcida Fúria Icasiana, houve correria e tumulto generalizado entre os mesmos. Informo ainda que foi solto um rojão de fora para dentro do estádio, na direção onde se encontrava a torcida do Barbalha”, relatou o árbitro na súmula da partida.

O jogo ficou paralisado por mais de 14 minutos. O árbitro aguardava um sinal de controle da situação por parte da PM para que a partida fosse reiniciada, o que não ocorreu. Adriano Barros afirma no documento que membros da comissão técnica do Icasa chegaram a xingar a equipe de arbitragem.

Após a partida, o portão do vestiário onde a equipe de arbitragem se encontrava chegou a ser arrombado por um homem não identificado, que proferiu xingamentos, segundo relatou Adriano Barros. Por último, o juiz do jogo comentou sobre as condições do vestiário.

"Um ambiente totalmente insalubre, sujo e que não comporta em seu espaço uma equipe de arbitragem, além de ficar localizado entre os vestiários de ambas as equipes, tendo a equipe de arbitragem que passar entre eles, se quiser ter acesso ao campo de jogo."

Presidente do Icasa
Procurado pelo Esportes O POVO, o presidente do Verdão, Major Agra, se mostrou surpreso com o relato sobre o xingamentos de membros da comissão técnica. O dirigente do Icasa afirmou que não havia motivos porque a arbitragem teve uma atuação normal, sem erros.

"Eu desconheço o fato de a comissão ter xingado. Eu sei que torcedores pularam, alguns não sabem perder. Não tenho nada que reclamar da arbitragem. Não vi ninguém da comissão técnica brigar, mas também não tenho condições de acompanhar todo mundo. Se ele colocou é mais um julgamento, prejuízo para o Icasa", disse Agra.

TAGS