PUBLICIDADE
Ceará Sporting Club
NOTÍCIA

Presente na final do Nordestão, árbitro de vídeo garantiu vantagem legítima construída pelo Ceará

Tecnologia corrigiu o erro da arbitragem ao anular o terceiro gol do Ceará e agora Vovô pode até perder no segundo jogo que mesmo assim fica com a Orelhuda

Brenno Rebouças
20:08 | 01/08/2020
Aprovado para utilização no Brasileirão, o VAR começou a ser implementado na Copa do Brasil no ano passado (Foto: Reprodução/CBF) (Foto:  (Foto: Reprodução/CBF))
Aprovado para utilização no Brasileirão, o VAR começou a ser implementado na Copa do Brasil no ano passado (Foto: Reprodução/CBF) (Foto: (Foto: Reprodução/CBF))

Presente apenas na final da Copa do Nordeste, o árbitro de vídeo mostrou sua importância logo no primeiro jogo da decisão entre Ceará e Bahia, que o Vovô venceu por 3 a 1. O uso da tecnologia garantiu que ao Alvinegro a legítima vantagem construída para o duelo da volta, na terça-feira, 4.

No terceiro gol do Ceará, marcado por Mateus Gonçalves, o assistente 2, Kildenn Morais, assinalou posição irregular do atacante, ao dominar a bola chutada pelo goleiro Fernando Prass. Como o lance foi concluído, com o jogador invadindo a área, chutando de pé direito e acertando a meta, o VAR entrou em ação e constatou que a posição era legal. A verificação durou cerca de 4 minutos, no entanto.

Com o terceiro gol, o Ceará pode até perder por um gol de diferença para o Bahia na partida de volta que ainda assim fica com o título do Nordestão. Se o gol tivesse sido mal anulado, a vantagem do Vovô seria apenas de empate.

A tecnologia também foi utilizada quando Fernandão, do Bahia, caiu na grande área e pediu pênalti. O árbitro Wagner Reway não foi na dele, mas teve que esperar a avaliação do VAR, que atestou o acerto do paraibano.

O árbitro de vídeo estará presente novamente no jogo da volta. É o segundo ano consecutivo que o VAR é utilizado na decisão da Copa do Nordeste. O custeio é feito pela Liga do Nordeste.