PUBLICIDADE
Ceará Sporting Club
NOTÍCIA

Ceará empata com Ferroviário, chega a nove jogos oficiais sem vencer, e é vaiado pela torcida

O Clássico da Paz terminou empatado em 1 a 1.

22:11 | 29/01/2020
Ceará, de Samuel Xavier, começou melhor no jogo.
Ceará, de Samuel Xavier, começou melhor no jogo. (Foto: Aurélio Alves/O POVO)

O reencontro da torcida com o time do Ceará em partida oficial foi frustrante ontem à noite, no estádio Presidente Vargas (PV). O Alvinegro do Porangabuçu não jogou bem e só conseguiu o empate com o Ferroviário aos 43 minutos do segundo tempo, com Samuel Xavier, na estreia da equipe na segunda fase do estadual.

O Clássico da Paz terminou empatado em 1 a 1. O Ferroviário abriu o placar ainda no primeiro tempo com direito a golaço de Wellington Rato.

Com o resultado, o Ceará chegou a amarga marca de nove jogos oficiais sem vencer, sendo cinco sob o comando do técnico Argel Fucks. O treinador é o principal alvo de insatisfação do torcedor e vai pressionado para o Clássico-Rei, no sábado, na segunda rodada da Copa do Nordeste.

“Queremos treinador”, gritaram os torcedores antes e depois do fim do confronto.

No apito final da peleja, vaias entoaram no estádio Presidente Vargas, repetindo o gesto do fim do primeiro tempo. A torcida alvinegra não vê a equipe vencer desde o dia 7 de novembro, quando triunfou diante do Internacional na Série A. A impaciência do torcedor não ficou restrita apenas ao desempenho do Vovô e ao seu técnico, mas também para arbitragem devido à marcações equivocadas.

“Quadrilha”, foi o coro da torcida alvinegra para a arbitragem.

O Vovô teve dificuldades de infiltrar no sistema defensivo do Ferroviário na primeira etapa. Com o controle da posse de bola, o escrete alvinegro rondava com tranquilidade a área do rival, mas levava pouco perigo para o goleiro Nicolás.

O time comandado por Argel Fucks terminou o primeiro tempo com quatro finalizações ao gol. Todos os arremates foram do centroavante Rodrigão, que só acertou uma na direção do gol, mas Nícolas defendeu.

Antes do apito final da primeira etapa, o Ferroviário, que só havia dado um chute ao gol, abriu o placar com uma pintura de Wellington Rato. O camisa 10 acertou o ângulo do goleiro Fernando Prass.

No segundo tempo, a dinâmica do jogo se repetiu. O Ceará tinha a maior posse da bola, mas agrediu ainda menos do que nos 45 minutos iniciais. Argel tentou reagir colocando Rick, Felipe Baxola e Sobis. A pressão do Alvinegro só aumentou na reta final da partida.

Em jogada de Rafael Sobis, o atacante serviu Samuel Xavier que estufou as redes do goleiro Nícolas. A principal contratação do Ceará na temporada ainda teve a chance de garantir a vitória nos acréscimos, mas bateu por cima da meta do Coral, permanecendo o empate no placar.