PUBLICIDADE
Ceará Sporting Club
NOTÍCIA

Ceará é o time que mais precisa de chutes para marcar gols no segundo turno do Brasileirão

De acordo com levantamento do Footstats, o Vovô necessita, em média, de 32,7 chutes para fazer um gol

17:25 | 17/10/2019
FORTALEZA, CE, BRASIL, 06-10-2019: Juninho Quixada. Jogo do Ceará x Goias, Campeonato Brasileiro pela 23° rodada, jogo na Arena Castelão, com derrota do Ceará por 1x0 para o Goias. (Foto: Aurélio Alves/O POVO)
FORTALEZA, CE, BRASIL, 06-10-2019: Juninho Quixada. Jogo do Ceará x Goias, Campeonato Brasileiro pela 23° rodada, jogo na Arena Castelão, com derrota do Ceará por 1x0 para o Goias. (Foto: Aurélio Alves/O POVO) (Foto: AURELIO ALVES)

No atual Campeonato Brasileiro, principalmente na sequência recente de dez jogos sem vencer, o Ceará ficou marcado por criar muitas oportunidades de gols e não colocar a bola para dentro da rede. Levando em consideração os seis jogos do segundo turno, o Alvinegro de Porangabuçu é o time que mais precisa de finalizações para anotar um tento no Brasileirão, de acordo com levantamento do Footstats. São 98 chutes e apenas três gols, o que dá uma média de 32,7 finalizações para balançar as redes adversárias.

Este cenário foi mais explícito na partida contra o Goiás, na Arena Castelão, pela 23ª rodada. O Vovô finalizou 22 vezes, perdeu um pênalti e ainda saiu derrotado da partida, por 1 a 0. Contra CSA-AL foram 21 tentativas e diante do Cruzeiro-MG foram 19, quando novamente a equipe saiu zerada de campo.

Com exceção da partida diante do Avaí-SC, que o Ceará fez gol e saiu vencedor, os jogos de menor número de finalizações do Alvinegro tiveram gols a favor do time cearense, contra Atlético-MG (6 chutes) e Grêmio-RS (9 tentativas).

Na contramão dessa estatística, o Grêmio é a equipe mais eficiente do segundo turno do Brasileirão, pois necessita de apenas 4,9 finalizações para anotar um gol. O maior rival do Ceará, o Fortaleza, precisa de 13,2 chutes para balançar as redes, a 12ª melhor marca da segunda metade do Campeonato Brasileiro.