PUBLICIDADE
Ceará Sporting Club
NOTÍCIA

Ceará vai entrar com representação contra arbitragem do jogo contra o Fluminense

Alvinegro reclama da decisão do árbitro em anular o gol marcado por Mateus Gonçalves, na reta final da partida.

12:43 | 16/07/2019
Ceará reclama da atuação do árbitro Douglas Marques (centro).
Ceará reclama da atuação do árbitro Douglas Marques (centro). (Foto: Felipe Santos/cearasc.com)

O Ceará ainda não 'engoliu' a marcação do árbitro Douglas Marques, que anulou o gol que poderia ter sido o da vitória do time sobre o Fluminense, em jogo que terminou empatado em 1 a 1, na última segunda-feira, 15, no estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro, pela 10ª rodada do Brasileirão. A opinião da diretoria, que é também a mesma defendida pelo técnico Enderson Moreira, é de que não houve irregularidade nenhuma no gol marcado por Matheus Gonçalves na reta final da partida, que deixaria o Alvinegro em vantagem no marcador (2 a 1).

Com auxílio do VAR, o árbitro anulou, após ouvir as recomendações de Heber Roberto Lopes, que atuou na partida na condição de "árbitro de vídeo", posicionado na central de imagens. A arbitragem entendeu que, na jogada, o atacante Fellipe Cardoso, que estava impedido na hora do lançamento, participou da jogada ao correr para o ataque e ficar na frente do zagueiro que corria para tentar alcançar Mateus. Houve, nesse caso, para a arbitragem, obstrução.

Diante do ocorrido, o Ceará vai entrar com uma representação contra a arbitragem da partida contra o Flu. A informação foi confirmada ao Esportes O POVO pelo diretor jurídico do clube, Jamilson Veras. O ofício de protesto pela atuação do árbitro Douglas Marques deve ser encaminhado ainda nesta terça-feira, 16, à Comissão de Arbitragem da Confederação Brasileira de Futebol (CBF).

CRÍTICA DO TÉCNICO

O técnico Enderson Moreira não poupou críticas ao segundo gol do Ceará diante do Fluminense que foi anulado com auxílio do árbitro de vídeo (VAR). O comandante alvinegro qualificou o lance como interpretativo e disse que o árbitro central, Douglas Marques, terceirizou a decisão.

“Lamento muito a questão do gol anulado porque, na minha concepção, não foi absolutamente nada e é muito revoltante pra gente. Quem estava no VAR hoje estava dentro do campo há pouco tempo e continua fazendo as mesmas coisas e cometendo os mesmos erros, não houve nenhuma evolução", reclamou Enderson, se referindo a Heber Roberto Lopes, que era o árbitro de vídeo.

Para o técnico do Ceará, faltou convicção ao árbitro de campo, que chamou até o assistente 1, Danilo Ricardo Simon, para observar o monitor. “Todo lance que tem, o cara (árbitro) deixa pro VAR decidir. E o cara (árbitro de vídeo) tá no ar condcionado e não consegue visualizar pela câmera tudo que acontece no jogo, o toque na bola, escutar o que está acontecendo. Tem coisa que só quem está dentro de campo pode perceber", disse o comandante alvinegro.

O fato do árbitro ter chamado um assistente para tomar a decisão de seguir o VAR e anular o gol irritou ainda mais Enderson Moreira. "Isso é absurdo. É demonstrar que ‘eu não estou preparado para apitar uma Série A’”, se referiu a Douglas Marques, o treinador.

O Ceará volta a campo no próximo sábado, 20, para enfrentar o Palmeiras, em jogo marcado para as 19h, na Arena Castelão. A partida é válida pela 11ª rodada da Série A do Campeonato Brasileiro.

OUÇA O NOVO EPISÓDIO DO FUTCAST:

Listen to "#62 - Quem volta melhor na Série A: Ceará ou Fortaleza" on Spreaker.

Bruno Balacó