PUBLICIDADE
Esportes

Ex-preparador físico do Ceará rebate críticas de Jorginho e Lisca ao condicionamento dos atletas

22:50 | 11/06/2018
NULL
NULL
[FOTO1]O curto tempo à frente do comando técnico do Ceará não impediu Jorginho e agora Lisca de fazerem críticas ao preparo físico do elenco alvinegro. O agora treinador do Vasco chegou a dizer que “fisicamente a equipe está muito abaixo do que é o normal para a Série A”. O ex-preparador físico do Vovô, Roger Gouveia, que trabalha com Marcelo Chamusca, não gostou das declarações e as rebateu.

“Nossa obrigação (com o Ceará) terminou depois daquele jogo contra o Vitória e naquele momento só o Arthur estava no departamento médico”, disse Gouveia em entrevista ao programa Trem Bala da Rádio O POVO/CBN. Ele chamou de “transferência de responsabilidade” as críticas feitas, especialmente as do técnico Jorginho.

O preparador físico também fez um diagnóstico do que aconteceu com o clube desde a saída da comissão técnica da qual ele fazia parte. “Se passaram três semanas e já foram 11 lesionados. Fabinho, por exemplo, chegou em um dia, atuou no outro e agora está machucado. Arthur estava há 3 semanas no DM, colocaram ele para treinar numa sexta e jogar no domingo”, apontou. Na coletiva após derrota do Ceará para o Cruzeiro, Jorginho de fato admitiu que promoveu o retorno do jovem centroavante ao time porque “vinha perdendo”.

Em entrevista recente, após o empate do Ceará com o Palmeiras, Lisca comentou que as substituições que promoveu nos dois jogos em que treinou o Ceará na Série A foram ditadas pelo preparo físico dos atletas.

"A única troca das seis que fiz na parte tática foi Elton no lugar do Reina (na partida contra o Palmeiras), as outras foram por questões físicas. É um detalhe que precisamos melhorar muito nesses 40 dias que vamos ter", disse.

Atualmente estão no departamento médico do Ceará: Fabinho, Arthur, Valdo, Wescley, juninho e Renan. Já Romário e Richardson forma poupados da última partida por estarem com CK (creatina kinase) elevado.

Roger Gouveia resgatou que no início da temporada o time teve apenas 12 dias de preparação e apresentou poucas lesões porque o time trabalhava com um protocolo. Para ele, o motivo dos atuais problemas físicos do Ceará são 3 metodologias diferentes utilizadas em pouco tempo (devido às mudanças de comissão). “Quando chegamos no Ceará não questionamos Givanildo (Oliveira)”, relembrou. 

No fim do desabafo, Gouveia lembrou que foi campeão por Ceará e Fortaleza e defendeu que no Estado do Ceará existem bons profissionais (ele é cearense).
VEJA MAIS: AS PRIMEIRAS IMPRESSÕES DE LISCA NO CEARÁ | NA PRANCHETA #22
[VIDEO1] 
TAGS