PUBLICIDADE
Esportes

Fernando Henrique pode pegar suspensão de até 12 jogos em julgamento do STJD

16:28 | 14/09/2017
NULL
NULL
[FOTO1] O Ceará e o goleiro Fernando Henrique serão julgados pela 1ª Comissão Disciplinar do Supremo Tribunal de Justiça Desportiva na segunda-feira, 18, em dois processos de partidas diferentes. O clube foi denunciado nos artigos 206 e 213 e pode ser apenado com multa pecuniária e até perda de mando de campo, já o atleta corre risco de ser suspenso das próximas partidas.

Pela partida Boa Esporte 4x1 Ceará, válida pela 21ª rodada da Série B, o time cearense será julgado por atraso de jogo e cada um dos dois minutos citado pelo árbitro em súmula pode custar ao Vovô de cem a mil reais. Já a pena do goleiro Fernando Henrique, que foi reserva no jogo, pode variar de quatro a doze partidas. Ele agrediu um dos gandulas ao fim do jogo e foi incurso no artigo 254-A.

“Após o término da partida, fui informado pelo quarto árbitro, que o goleiro reserva da equipe do Ceará, Fernando Henrique, partiu em direção ao gandula identificado Weverton Richard Moreira e atingiu o mesmo na cabeça utilizando um copo d’água. Em razão do tumulto gerado pelo ocorrido, não consegui apresentar o cartão vermelho ao referido atleta, pois o mesmo foi conduzido ao seu vestiário imediatamente. relato ainda, que ambas as partes foram conduzidas ao posto policial para ser lavrado o boletim de ocorrência”, relatou o árbitro Jean Pierre Gonçalves.

Perda de mando

O Vovô corre ainda o risco de perder mandos de campo devido à briga entre torcedores do Ceará e do Londrina, na partida entre ambos no último sábado, 9, válida pela 23ª rodada da Série B. As duas agremiações foram denunciadas por deixar de tomar providências para prevenir desordem na praça esportiva.

O inciso primeiro do artigo 213 diz que quando a desordem causa prejuízo ao andamento da partida, os clubes podem ser punidas com perda de mando de uma a dez partidas.

Pablos dos Santos, árbitro da partida, relatou que foi necessário paralisar o jogo por um minuto e meio devido tumulto no setor de arquibancadas. Segundo ele, existiam espaços vazios de segurança para os dois lados da grade que dividia a arquibancada e torcedores de Ceará e Londrina pularam para esses espaços e começaram a se provocar, até a chegada do policiamento.

Segundo o diretor jurídico do Ceará, Ernando Uchôa Sobrinho, porém, em caso de lavratura de boletim de ocorrência ou identificação dos envolvidos, a denúncia fica descaracterizado, mas o departamento ainda não recebeu a documentação do processo para saber se algo foi registrado.
TAGS