PUBLICIDADE
Esportes

Cirurgia de João Paulo é um sucesso; Botafogo se revolta com Ferj

Após sofrer uma entrada violenta do atacante Rildo logo com dois minutos do clássico contra o Vasco, o meia João Paulo teve que passar por uma cirurgia para reconstrução dos ossos da fíbula e da tíbia da perna direita. A operação, que aconteceu nesta madrugada de segunda-feira, foi considerada um sucesso pelos médicos. Em três [?]

12:30 | 19/03/2018

Após sofrer uma entrada violenta do atacante Rildo logo com dois minutos do clássico contra o Vasco, o meia João Paulo teve que passar por uma cirurgia para reconstrução dos ossos da fíbula e da tíbia da perna direita. A operação, que aconteceu nesta madrugada de segunda-feira, foi considerada um sucesso pelos médicos. Em três semanas o capitão botafoguense deverá iniciar os trabalhos de fisioterapia. Porém, o tempo para retorno aos gramados e de, no mínimo, quatro meses.

O diretor de futebol do Botafogo Anderson Barros esteve no hospital acompanhado da esposa do atleta, Bruna, que está grávida de sete meses. O técnico Alberto Valentim que queria ter ido ao Hospital São Vicente, na Zona Sul do Rio de Janeiro (RJ), foi convencido a seguir diretamente para casa a fim de evitar exposição. Vários atletas botafoguenses se manifestaram em redes sociais dando apoio ao companheiro.

Vivendo o melhor momento da carreira, João Paulo assustou os colegas pela reação no lance, tamanha a dor que sentiu. O árbitro Leonardo Garcia Cavaleiro sequer expulsou o jogador vascaíno, advertido com cartão amarelo, o que revoltou ainda mais os alvinegros.

Em nota oficial a Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro (Ferj) divulgou que não pretende afastar o árbitro. No teor da nota a Ferj diz que ?O árbitro não percebeu a fratura no momento da falta e, sem saber, no prosseguimento do jogo, a gravidade da lesão do atleta do Botafogo F.R; O árbitro se equivocou em nãoaplicar o cartão vermelho para o atleta do Vasco da Gama pela forma como atingiu o seu adversário; Portanto, o GGP entende pelo não afastamento do árbitro, levando em consideração sua atuação durante os oitenta e oito minutos da partida, que fora disputada de forma leal pelos atletas de ambas as equipes. Nós da COAF-RJ, lamentamos a fatalidade ocorrida com o atleta do Botafogo F.R, no entanto, entendemos que a fratura do atleta não seja responsabilidade do árbitro uma vez que a disputa pela bola entre dois jogadores adversários.?.

O erro da arbitragem e a nota da Ferj irritaram o presidente Nelson Mufarrej, pressionado pela torcida. Aliado da entidade, o Botafogo estuda a possibilidade de mudar o tom do discurso e pode passar a fazer oposição, como acontece atualmente com Fluminense e Flamengo. É possível que o presidente da Federação, Rubens Lopes, entre no circuito para amenizar o clima, uma vez que o Glorioso é tido como um aliado importante.

Sem João Paulo, o Botafogo volta a campo para enfrentar o Vasco nesta quarta-feira, às 21h45(de Brasília), novamente no Estádio Nilton Santos, pelas semifinais da Taça Rio. O time será definido no treino desta terça-feira.

Gazeta Esportiva

TAGS