PUBLICIDADE
Esportes

Apresentado, Rever lamenta saída do Atlético em 2015: ?Fiquei chateado?

O zagueiro Rever voltou para o Atlético. Em negociação com o Flamengo e Internacional, clubes que ele estava emprestado e o gaúcho qual ele pertencia, o jogador desembarcou em Belo Horizonte para dar sequência em sua história interrompida em 2015, de maneira que deixou o atleta chateado. ?No momento que eu saí, foi um momento [?]

17:45 | 07/01/2019

O zagueiro Rever voltou para o Atlético. Em negociação com o Flamengo e Internacional, clubes que ele estava emprestado e o gaúcho qual ele pertencia, o jogador desembarcou em Belo Horizonte para dar sequência em sua história interrompida em 2015, de maneira que deixou o atleta chateado.

?No momento que eu saí, foi um momento complicado da minha carreira. Passavam-se muitas coisas na minha cabeça. Fiquei muito chateado com minha saída, da maneira como as coisas aconteceram. Muitos torcedores perguntavam por que eu tinha saído daquele jeito, até funcionários aqui eu acabei saindo e não os encontrei. Fiquei muito chateado comigo mesmo, não com ninguém, deveria ter agido talvez diferente. Foi uma lesão que me castigou muito. Vinha de 50 jogos e, em 2014, fiz apenas 11. Aí já vem o diabinho na sua cabeça colocar um monte de coisa, e ele acabou conseguindo. Aquele momento foi complicado. Tive uma saída que, no ano de 2015, falavam que eu era um jogador que vivia lesionado. Isso era conversa de pessoas mal-informadas. Em 2015 eu estava pronto para jogar, mas por opção de treinadores e outras coisas acabei não jogando. Aí fui para o Flamengo e tive uma sequência muito boa. Aquele pensamento de que o Réver tinha morrido e não era mais o mesmo teve que ficar meio calado e acabaram aplaudindo?, destacou.

Rever chega para um contrato de três anos. Ele volta para um clube que a torcida lhe aplaudiu quando estava com a camisa do adversário, algo que marcou muito o jogador.

?Vim jogar aqui contra o Atlético quando a torcida acabou me surpreendendo pelo fato de que, quando você vai jogar contra o ex-clube, é sempre ovacionado mas pelo lado negativo. No aquecimento, a torcida acabou gritando meu nome. Isso me marcou muito, até mesmo para meus companheiros. Fiquei sem reação e não sabia o que fazer para retribuir aquele carinho. No vestiário antes, de ir para a partida, diretores e até mesmo o treinador brincando sobre o que tinha ocorrido, nunca tinham visto aquilo. Na minha cabeça, passou um sentimento de amor que é algo inexplicável, e eu lembro desse momento. Conquistei títulos em outros lugares e não foi dessa maneira. Marcou muito o que a torcida do Atlético fez por mim nesse dia, nesse jogo, foi fora do comum, mostrou o amor que eles têm por mim, o respeito e como fui querido aqui. Sendo que eu saí com o pensamento totalmente diferente. Espero, nesse retorno, retribuir todo esse carinho que tiveram no tempo que fiquei longe e afastado, com boas atuações, gols e títulos?, finalizou.

Gazeta Esportiva

TAGS