PUBLICIDADE
Esportes

Em jogo de seis gols, Galo e Chape empatam em BH

A vitória era necessária. O Atlético passa por uma queda de rendimento e ela foi confirmada no empate por 3 a 3, com a Chapecoense, na tarde deste sábado, no Independência, duelo válido pelo Campeonato Brasileiro. O resultado deixa o Galo na sétima posição, com 14 pontos anotados, esperando o término da rodada para ver [?]

18:15 | 02/06/2018

A vitória era necessária. O Atlético passa por uma queda de rendimento e ela foi confirmada no empate por 3 a 3, com a Chapecoense, na tarde deste sábado, no Independência, duelo válido pelo Campeonato Brasileiro.

O resultado deixa o Galo na sétima posição, com 14 pontos anotados, esperando o término da rodada para ver onde ficará. A Chape ficou com a 13ª colocação, com 10 pontos.

O duelo foi bastante movimentado. Se nos dois jogos anteriores pela Copa do Brasil as equipes não conseguiram marcar um tento, agora foram seis. A Chape abriu o marcador e levou a virada. No finalzinho do primeiro tempo, a equipe de Santa Catarina empatou. Na volta do intervalo, o Atlético forçou muito, mas conseguiu somente um gol e ainda sofreu outro.

O Galo volta a campo na próxima quinta-feira, contra o América, no Independência, às 21h (de Brasília). Já a Chapecoense vai ao Barradão, na quarta, às 19h30, para o duelo contra o Vitória.

Primeiro tempo

O confronto começou bastante estudado. No meio campo, as equipes batalhavam pela bola. O detalhe é que a Chape não tinha a postura tão fechada que em outros momentos. No entanto, também não era um grupo que iria se expor e correr riscos

Logo aos 7 minutos, o Atlético conseguiu uma grande chegada. O atacante Roger Guedes, na esquerda, fez um ótimo passe para a área, encontrando Luan. O ?menino maluquinho? chutou e a bola tirou tinta da trave.

A Chape levou 10 minutos para responder. Em cruzamento da direita, a trave salvou o goleiro Victor. Antes desse lance, apenas faltas, passes no meio, impedimentos, nada que acrescente a partida.

No lance seguinte o gol. Em novo cruzamento, da esquerda, Leandro Pereira recebe na área e escora para dentro da meta do goleiro Victor. O arqueiro atleticano, numa tentativa mais para a torcida do que efetiva, pulou dentro do gol, mas só serviu para pegar a redonda.

Irritados, os torcedores atleticanos soltaram a voz. ?Eu quero raça, do time todo?. Em campo, os jogadores entenderam o recado. Na saída de bola, Roger Guedes recebeu a redonda na entrada da área. Decidiu chutar, a bola foi mascada, mas virou um passe. Ricardo Oliveira pegou a redonda no meio do caminho e mandou para o fundo do barbante.

O Atlético cresceu de rendimento após o gol. Não criou tanto, mas não correu riscos e dominou o meio campo. Aos 33, em cobrança de escanteio, Wellington Paulista se enrolou com o zagueiro Gabriel e o árbitro, na frente do lance, marcou pênalti.

Após muita reclamação, três minutos depois, Fábio Santos partiu para cobrar a penalidade máxima, mandou no canto esquerdo de Jandrei. O arqueiro foi para o lado certo, mas não alcançou a bola.

Após a virada, o Galo ainda conseguiu ter uma grande chance, com Ricardo Oliveira, mas a defesa da Chape se recuperou.

Aos 37 Leandro Pereira foi expulso. Em cruzamento na área, Gabriel tenta tirar de cabeça, já o atacante tenta finalizar com o pé direito. A falta foi marcada e o árbitro mostrou o segundo cartão amarelo e, em seguida, o vermelho.

No último minuto do primeiro tempo, a Chape conseguiu o empate. Em cobrança de falta, Arthur colocou dentro da meta do goleiro Victor.

Segundo tempo

Como era esperado, a Chapecoense tinha o empate fora de casa e queria fazer valer esse resultado. Assim, a equipe estava fechada.

O Galo então martelava. Girava a bola, criava, mas sempre parava na defesa armada pela equipe de Chapecó. O técnico Thiago Larghi então tomou uma atitude ousada: tirou o zagueiro Gabriel e colocou o atacante Erik.

Já no primeiro lance a situação surtiu efeito. O Galo se mandou para o ataque e conseguiu abrir espaços. Roger Guedes recebeu a bola na área, dançou na frente de Apodi e colocou no canto direito de Jandrei.

A Chape precisou sair para o jogo. E rapidinho conseguiu achar uma boa jogada. Arthur entrou no meio da defesa e Fábio Santos deu o toque por trás. O pênalti foi marcado. Na cobrança, Wellington Paulista colocou Victor para um lado e a bola para o outro.

Com o empate, o cenário voltou: Chape defendendo e Galo atacando. No finalzinho, Ricardo Oliveira recebeu uma ótima bola na área, tentou o gol, mas a bola tirou tinta da trave. Nada alterou.

FICHA TÉCNICA

ATLÉTICO-MG 3 X 3 CHAPECOENSE

Local: Arena Independência, Belo Horizonte (MG)

Data: 02 de junho de 2018 (sábado)

Horário: 16h(de Brasília)

Árbitro: Bruno Arleu de Araújo (RJ)

Assistentes: Luiz Cláudio Regazone (RJ) e Thiago Henrique Neto Correa Farinha (RJ)

Gols:

Chapecoense:

Leandro Pereira, aos 19 minutos do primeiro tempo;

Arthur, aos 50 minutos do primeiro tempo;

Wellington Paulita, aos 18 minutos do segundo tempo

Atlético:

Ricardo Oliveira, aos 20 minutos do primeiro tempo;

Fábio Santos, aos 35 minutos do primeiro tempo;

Roger Guedes, aos 13 minutos do segundo tempo

Cartões: Leandro Pereira (2), Wellington Paulista (Chapecoense); Luan (Atlético)

Cartão Vermelho: Leandro Pereira (Chapecoense)

ATLÉTICO: Victor, Emerson, Bremer, Gabriel (Erik) e Fábio Santos; Elias, Gustavo Blanco e Juan Cazares; Luan (Thomas Andrade), Roger Guedes e Ricardo Oliveira

Técnico: Thiago Larghi

CHAPECOENSE: Jandrei; Apodi, Rafael Thyere, Douglas e Bruno Pacheco (Barreto); Elicarlos, Márcio Araújo e Canteros (Vinícius Freitas); Wellington Paulista, Arthur Caike (Bruno Silva) e Leandro Pereira

Técnico: Gilson Kleina

Gazeta Esportiva

TAGS