PUBLICIDADE
NOTÍCIA

Santos fecha a contratação de Ariel Holan, que deve chegar no Brasil até o fim da semana

Ariel Holan é um técnico experiente e com muita identificação com o Independiente-ARG, chegou a treinar o clube de 2016 até 2019

08:39 | 22/02/2021
Ariel Holan é ídolo no Independiente-ARG e estava na Universidad Católica-CHI (Foto: Divulgação / Universidad Católica-CHI)
Ariel Holan é ídolo no Independiente-ARG e estava na Universidad Católica-CHI (Foto: Divulgação / Universidad Católica-CHI)

O Santos fechou a contratação de Ariel Holan para substituir Cuca. O técnico argentino ex-Universidad Católica (CHI) chega para um vínculo até dezembro de 2023.

À procura de auxiliares para a sua comissão técnica, Ariel Holan deve chegar ao Peixe até o fim dessa semana, com a estreia prevista apenas para o Campeonato Paulista. O contrato até dezembro de 2023 está apalavrado e será anunciado pelo clube nesta segunda-feira.

Holan gostaria de trazer da Universidad Católica o auxiliar Juan Esparis e o preparador físico Facundo Peralta, mas a dupla não deve vir ao Brasil. Esparis por questões pessoais, enquanto Peralta quer continuar no Chile.

Ariel Holan tem uma equipe particular de analistas de desempenho. A princípio, os três devem continuar com o argentino e não na folha salarial do Peixe. Esse tema, porém, ainda será debatido.

Holan estava no topo da lista do Santos desde o início da procura por um técnico, há mais de duas semanas. A pedida inicial foi alta. Na sequência, o clube conseguiu um "desconto" e passou a avançar na negociação. O valor da comissão técnica será de pouco menos de R$ 600 mil.

O Santos analisou outras opções, como Hernán Crespo, Tiago Nunes e Beccacece. No caso de Crespo, o salário de mais de R$ 1 milhão inviabilizou qualquer papo e ele foi para o São Paulo. Com Nunes e Beccacece, a preocupação foi a mesma: o relacionamento com o elenco. Ambos têm histórico de problemas com atletas e colegas.

Com Holan, o Alvinegro fica satisfeito por aliar projeto de futebol e bom convívio. Sair de Cuca, adorado pelos jogadores, para Tiago Nunes ou Beccacece poderia significar uma ruptura no dia a dia do CT Rei Pelé.

Holan tem 60 anos e foi aprovado pelo departamento de futebol e pela análise de desempenho. O argentino começou no Defensa y Justicia em 2015 e passou por Independiente e Universidad Católica. Antes, foi auxiliar e desempenho e técnico de hóquei sobre a grama.

A chegada de um treinador tarimbado dividiu opiniões no Comitê de Gestão. Para alguns, o comandante seria o único reforço possível neste momento e demanda investimento. Para outros, era momento de economizar e diminuir a folha da comissão técnica. O primeiro pensamento "venceu".

O Comitê de Gestão deliberou sobre Ariel Holan por alguns dias. Mais do que maioria simples para a aprovação, o presidente Andres Rueda buscou um consenso.

Quem foi a favor ou contra a chegada de Holan expôs seus argumentos em grupo no Whatsapp. A chegada de um treinador tarimbado dividiu opiniões. Para alguns, o comandante é o único reforço possível neste momento e demanda investimento. Para outros, era momento de economizar e diminuir a folha da comissão técnica. O primeiro pensamento "venceu".

O Santos gostaria de ter Cuca para a partida contra o Bahia na próxima quinta-feira, em Salvador, no encerramento do Campeonato Brasileiro, mas o técnico foi liberado para cuidar de sua família. A mãe e uma das filhas estão internadas com covid-19.

Dessa forma, o auxiliar Marcelo Fernandes deve dirigir o Peixe. O Alvinegro empatou com o Fluminense na despedida de Cuca e está perto da classificação para a Pré-Libertadores.

Enquanto deixou a questão financeira e contratual para seus representantes, Ariel Holan buscou informações sobre o Santos. Ele falou com colegas de profissão e perguntou ao Peixe sobre questões específicas, como quantidade de campos e uso da tecnologia no departamento de análise de desempenho.

Holan tem vontade antiga de trabalhar no Brasil e viu o Santos como ótima porta de entrada por sua história, presença de jogadores de destaque como Marinho e Soteldo e a predisposição a revelar jovens da base.

Ariel Holan está disposto a trabalhar com a realidade do Santos, de não contratar e correr o risco de perder outros atletas. Os reforços podem chegar só no segundo semestre.