PUBLICIDADE
NOTÍCIA

Infectologista afirma que possível volta de público aos estádios é "irresponsável e impensável"

Em reportagem, O POVO trouxe que a possibilidade de jogos com portões abertos já é algo discutido nos bastidores a bola, mas especialistas de saúde são contra a medida

Vinícius França
11:04 | 11/09/2020
Arena Castelão recebe jogos de portões fechados atualmente
 (Foto: Aurelio Alves)
Arena Castelão recebe jogos de portões fechados atualmente (Foto: Aurelio Alves)

As projeções da volta de público aos estádios de futebol e a ideia de jogar com portões abertos ainda neste ano já é uma realidade nos bastidores de clubes e federações estaduais, como trouxe O POVO na reportagem Portões Abertos. Porém, se depender da opinião dos especialistas de saúde, esse desejo vai ficar para depois. Para o infectologista Roberto da Justa, a possibilidade é arriscada demais no cenário atual da pandemia de Covid-19.

+ Leia mais: Portões abertos: futebol pode ter público nos estádios em outubro

“A retomada de atividades que representam grandes aglomerações, como jogos de futebol com torcida, são um risco muito grande para a recirculação intensa do vírus na população. Nós sabemos que muitas pessoas estão sendo infectadas, muitas albergam o vírus sem sintomas. Então, obviamente, durante um jogo de futebol, pessoas assintomáticas certamente estarão presentes no meio da torcida e transmitindo o vírus”, disse o médico, em vídeo publicado nas redes sociais do Coletivo Rebento Médicos e Médicas em Defesa da Ética, da Ciência e do SUS.

Professor da Universidade Federal do Ceará (UFC), Roberto defende que o único panorama ideal para a volta de público será quando existir uma vacina para o novo coronavírus. “Até lá, qualquer iniciativa de aglomeração é uma situação irresponsável, impensável. Não podemos minimizar a perda de qualquer vida. Não podemos evitar mortes evitáveis. O número de mortes é pequeno, mas não podemos aceitar qualquer morte evitável”, disse.

+Leia mais: Epidemiologista acredita em estádios com público a partir do fim de outubro

O infectologista alerta que, apesar da reabertura de vários setores da economia, a pandemia ainda não acabou: “Nós temos ainda a ocorrência de casos novos todo dia, bem como a ocorrência de óbitos. Esses números, a incidência de casos novos e a ocorrência de óbitos, reduziu-se significativamente em Fortaleza, mas continuam ocorrendo. Essa redução se deu por conta dos esforços com relação ao distanciamento social e ao isolamento das pessoas durante um bom período nos meses de abril, maio e junho”.

O presidente da Federação Cearense de Futebol (FCF), Mauro Carmélio, não nega que a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) está atenta à possibilidade de presença de público nos jogos há algum tempo, mas ressalta que a decisão cabe aos governos estaduais. Assim, dificilmente haveria uma abertura em massa de estádios em todo o país, já que a situação de cada estado é diferente.

Entrevistado pelo O POVO, o epidemiologista Luciano Pamplona acredita na volta de público em outubro: “O prejuízo de arrecadação não justifica o risco de aglomerar pessoas agora. Quando se fala em outubro, porém, é possível pensar lá. Acho que se a transmissão (do novo coronavírus) continuar caindo, é possível que no final de outubro ou em novembro tenhamos torcida no Castelão, mas com limite de pessoas e com um ambiente bem controlado”, explicou o professor da UFC.

Assista ao vídeo do infectologista Roberto da Justa: