PUBLICIDADE
NOTÍCIA

Ceará estuda fazer marca própria em 2020

Alvinegro tem contrato com a Topper até o fim de 2019, mas o clube analisa outras possibilidades de investimento

Fernando Graziani
10:56 | 18/09/2019
Neste ano, a Topper lançou os uniformes do Ceará, mas a relação entre clube e fornecedora pode estar próxima de acabar
Neste ano, a Topper lançou os uniformes do Ceará, mas a relação entre clube e fornecedora pode estar próxima de acabar (Foto: JULIO CAESAR/O POVO)

Com o encerramento do contrato com a Topper no fim de 2019, o Ceará estuda entrar para o grupo dos clubes que adotaram marca própria para os seus uniformes. A decisão ainda não está tomada, mas é vista com bons olhos por toda a diretoria alvinegra. Paralelamente a isso, o clube também recebeu consultas de empresas multinacionais de material esportivo. Tudo está na mesa sendo analisado com calma para que a melhor decisão seja tomada.

O Ceará tem contrato com a Topper desde 2016 e recebe da empresa paulista royalties pelas camisas vendidas. 

No estado, o Fortaleza já adota tal prática. Confirmação recente do blog Futebol do Povo mostrou que até o fim de 2019 a projeção é de que com marca própria, o Leão venda 100 mil camisas e arrecade R$ 10 milhões.

Você também pode gostar: