PUBLICIDADE
Esportes

Em jogo equilibrado estatisticamente, Croácia vence apenas nos pênaltis

O relógio marcava 55 segundos quando a Dinamarca abriu o placar contra a Croácia, pelas oitavas de final da Copa do Mundo, o 13º gol mais rápido da história. Dois minutos e cinco segundos depois, Mandzukic deixou tudo igual, e a partir daí a pressão croata tentava decidir a partida no tempo normal, mas os [?]

18:15 | 01/07/2018

O relógio marcava 55 segundos quando a Dinamarca abriu o placar contra a Croácia, pelas oitavas de final da Copa do Mundo, o 13º gol mais rápido da história. Dois minutos e cinco segundos depois, Mandzukic deixou tudo igual, e a partir daí a pressão croata tentava decidir a partida no tempo normal, mas os dinamarqueses equilibraram as estatísticas e a decisão foi levada para a prorrogação e, posteriormente, para os pênaltis.

Falando do início do jogo, somente em outras duas oportunidades na história das Copas dois gols foram marcados antes dos quatro minutos. A primeira foi em 1954, em partida entre Áustria e Tchecoslováquia (2 a 0), e a segunda foi no Mundial de 2014, em jogo entre Argentina e Nigéria (1 a 1).

Nos 90 minutos mais a prorrogação, o que se viu no Estádio Nizhny Novgorod foi um primeiro tempo mais ofensivo aos croatas e uma segunda etapa com uma Dinamarca mais agressiva. Mesmo assim, a Croácia teve uma leve superioridade nas estatísticas: 53% da posse de bola, 81% na exatidão dos passes (contra 78%) e cinco escanteios (contra quatro). Somente nos chutes a gol a diferença foi bem maior: 22 tentativas contra 15 dos dinamarqueses.

Perisic, Mandzukic e Modric foram os croatas que mais finalizaram, enquanto Eriksen foi o jogador que se destacou pela Dinamarca. Na parte defensiva, uma estatística chama a atenção: 19 faltas foram cometidas pelos dinamarqueses, enquanto os croatas tiveram apenas cinco em toda a partida.

Nos pênaltis, a Croácia se saiu melhor ao acertar três cobranças e passou para as quartas de final, quando enfrentará a anfitriã Rússia. A partida acontece no próximo sábado, dia 7 de julho, às 15h (de Brasília).

Gazeta Esportiva

TAGS