PUBLICIDADE
Esportes

Croácia é muito superior nas estatísticas, mas fica com o vice

Futebol não é só número. E a final da Copa do Mundo, que contou com vitória da França por 4 a 2 e o bicampeonato da seleção, provou isso com louvor. Apesar de ter ficado com o segundo lugar do Mundial, a Croácia pode encontrar alento em sua campanha surpreendente e nas estatísticas da própria [?]

14:30 | 15/07/2018

Futebol não é só número. E a final da Copa do Mundo, que contou com vitória da França por 4 a 2 e o bicampeonato da seleção, provou isso com louvor. Apesar de ter ficado com o segundo lugar do Mundial, a Croácia pode encontrar alento em sua campanha surpreendente e nas estatísticas da própria decisão.

Isso porque os comandados de Zlatko Dalic foram muito superiores aos franceses em relação aos números do confronto.

Nas finalizações, os croatas tiveram praticamente o dobro de chutes: 15 a 8. O domínio, entretanto, não se estendeu à precisão de tais oportunidades, já que a Croácia teve três finalizações em direção à meta, enquanto o time de Deschamps teve seis.

Na posse de bola, novamente a equipe de Dalic foi melhor, tendo passado 61% do tempo de bola rolando com ela no pé. Isso se estende aos passes: 83% de precisão no fundamento (contra 74% da França) e superioridade também na quantidade (548 a 269) e completude (456 a 198).

É importante ressaltar que muito disso se deve ao fato da estratégia adotada por Deschamps na grande final, de dar a bola no pé dos adversários.

Por fim, nos aspectos defensivos, igualdade. França e Croácia recuperaram 45 bolas cada na partida. Se por um lado os croatas foram melhores nos desarmes (13 a 11), os franceses tiveram superioridade nos bloqueios (4 a 1) e limpadas de bola (35 a 13).

Gazeta Esportiva

TAGS