PUBLICIDADE
Esportes

Copa do Mundo: confira a reação de um barbeiro mexicano entre torcedores brasileiros; veja fotos

O barbeiro que veio morar no Ceará há dois anos dividiu a torcida entre o Brasil e a seleção da terra de origem

17:23 | 02/07/2018
NULL
NULL
[FOTO1] 
Com um olho no telão e outro no celular, Raúl González, 30, dividiu a atenção entre o jogo, que assistia com a esposa, na Barraca Atlantidz, na Praia do Futuro, em Fortaleza, e a conversa pela Internet com a família mexicana, residente em Washington, nos Estados Unidos. Entre lá e cá, a torcida do barbeiro, que mora no Ceará há dois anos, era para as duas seleções. É que para Raúl, que veio morar no País pentacampeão após se casar com uma cearense, o que realmente importa é o futebol. “Eu tô de boa. Qualquer um que ganhar eu fico feliz”, diz.
 
 
O amante do esporte, o principal da terra natal, assim como no Brasil, acertou no palpite. “Acho que vai ser 2X0 para o Brasil. Mas tem a opção B. Se for para os pênaltis, o México ganha”, arriscou no início da partida, elogiando a atuação do goleiro Ochoa, um dos seus jogadores favoritos. Apesar da derrota mexicana, o craque fez juz à torcida e defendeu oito dos dez chutes a gol. 

Nas idas da seleção Canarinha ao ataque, ainda no primeiro tempo, Thayanna González, 31, brincava com o esposo: “Eita, o méxico vai perder!”. Em vídeos, fotos e áudio, ele mostrava para a família o clima da torcida no Ceará. “Eles se surpreenderam e ficaram felizes quando viram que eu tava com a camisa aqui. Mas é tranquilo, não tem confusão. O pessoal aqui é gente, a recepção é muito grande”, conta o mexicano.

Ele e a família saíram de Morelia, em Michoacán, para morar nos Estados Unidos quando ele tinha apenas três anos. Mas, assim como o sotaque, a proximidade com o país de origem continuam. “A gente voltava todo ano. Acho que vou próximo ano visitar com a Thayanna”, conta. 

Na barraca, a cada gol do Brasil, o hit “Messi tchau, Messi tchau, Messi tchau, tchau, tchau”, virou “México tchau, México tchau, México, tchau, tchau, tchau”. O grupo da família também estava animado. Com o resultado que garantiu o Brasil nas quartas de final, ele e os primos não terão que cumprir a aposta: deixar a barba loira. 
 
A torcida dividida do mexicano vem do contato com os países em que viveu. “Não sou patriota. Conhecer locais diferentes é muito bom não só pelas culturas diferentes mas também ajuda a crescer como ser humano”, reflete. E a partir de agora, a torcida do mexicano é toda verde e amarelo.
TAGS