PUBLICIDADE
Esportes

Com ?dor que sangra?, Edu evita falar sobre futuro na Seleção

O coordenador de seleções da CBF, Edu Gaspar, concedeu entrevista coletiva na manhã deste sábado, dia seguinte à derrota do Brasil por 2 a 1 para a Bélgica, em Kazan, pelas quartas de final da Copa do Mundo. Diante dos jornalistas, ainda demonstrando bastante abatimento, o dirigente repetiu o discurso de Tite e preferiu não [?]

10:45 | 07/07/2018

O coordenador de seleções da CBF, Edu Gaspar, concedeu entrevista coletiva na manhã deste sábado, dia seguinte à derrota do Brasil por 2 a 1 para a Bélgica, em Kazan, pelas quartas de final da Copa do Mundo. Diante dos jornalistas, ainda demonstrando bastante abatimento, o dirigente repetiu o discurso de Tite e preferiu não projetar o seu futuro até absorver a dor da eliminação.

?Foi tudo muito bom. Foi uma experiência incrível ter participado desse jogo. Deixará realmente algo a nós. Essa dor que estamos sentindo não é fácil. Foi a maior como como atleta ou dirigente. Uma dor que sangra. Temos que seguir firmes nos nossos objetivos que temos, continuando com essa responsabilidade?, resignou-se, antes de despistar sobre sua permanência no cargo.

?Agora é um momento difícil de responder esse tipo de pergunta. Estamos juntando nossas dores. Vamos esperar voltar ao Brasil para conversar e dar o próximo passo. O passo agora é de um ajudar o outro para tomarmos as melhores decisões possíveis?, afirmou.

O futuro de Edu Gaspar, na verdade, começará a ser definido em uma reunião na CBF, ainda sem data definida. Antes, porém, o dirigente quer receber os afagos de sua família após mais de um mês separado pela Seleção Brasileira.

?Provavelmente devo ser o primeiro a estar na CBF, antes da comissão técnica. Vou conversar com todos os envolvidos. Depois de organizar a reunião, a gente começa a estabelecer o planejamento e a conversar sobre o futuro. Estou louco para estar com a minha família, o pessoal que me fortalece. Depois vamos ver os próximos passos. Vamos entender todo o contexto e as necessidades. Pouco a pouco vamos tomando as decisões?, reiterou.

Edu Gaspar assumiu o cargo de coordenador de seleções na CBF a pedido do técnico Tite, com quem trabalhava no Corinthians. Com a parceria reeditada, o Brasil ostenta um aproveitamento de 85%, com 20 vitórias, quatro empates e apenas duas derrotas. Questionado se o trabalho seguiria em conjunto com o do treinador, o dirigente voltou a despistar.

?Já estamos há um bom tempo juntos, um ajuda muito o outro. A equipe que foi formada foi de altíssimo nível. Temos o lado humano aflorado, de familiares e amigos, e isso nos fortalece muito. Mas temos que nos sentar de novo. Creio que vamos ter o nosso tempo, nosso momento de reflexão, para tomar os próximos passos. Se vai ser em conjunto ou não, vai do momento e de resolver da melhor forma possível?, disse.

Embora o seu futuro não esteja definido, Edu Gaspar encaminhou a sequência da Seleção Brasileira, que agora volta o seu foco para a preparação para a Copa América de 2019. O coordenador vem agendando alguns amistosos como testes, a começar pelo duelo com os Estados Unidos, em setembro.

?O de outubro também estamos negociando. Estamos encaminhando alguns jogos até março de 2019 para dar sequência no trabalho, como preparação para a Copa América, que é o nosso principal foco a partir de agora?, concluiu.

Gazeta Esportiva

TAGS