PUBLICIDADE
Esportes

Presidente da Federação Francesa ?banca? Deschamps e descarta Zidane

Assim que anunciou sua saída do Real Madrid, Zinédine Zidane rapidamente se tornou um nome no mercado para ?assombrar? a maioria dos treinadores e, entre eles, um em especial: Didier Deschamps. O treinador da seleção da França passou a ser muito pressionado pelo trabalho sem títulos e tem sua saída especulada após o Mundial da [?]

09:45 | 08/06/2018

Assim que anunciou sua saída do Real Madrid, Zinédine Zidane rapidamente se tornou um nome no mercado para ?assombrar? a maioria dos treinadores e, entre eles, um em especial: Didier Deschamps. O treinador da seleção da França passou a ser muito pressionado pelo trabalho sem títulos e tem sua saída especulada após o Mundial da Rússia. Essa visão, entretanto, não parece ser compartilhada pela federação local.

Em entrevista a agência Reuters, Noel Le Graet fez questão de ?bancar? o atual treinador no cargo após a Copa do Mundo e reiterou que o comandante cumprirá todo seu contrato. ?Didier Deschamps tem contrato até 2020 conosco e ele vai continuar até 2020?, enfatizou o dirigente.

A possibilidade da contratação de Zidane tem repercutido positivamente entre os torcedores franceses até mesmo antes da saída do ex-jogador do comando dos merengues, já que muitos acreditam que o desgaste com Deschamps é grande devido aos resultados que não se confirmaram em títulos e o ciclo estaria em vias de um fim na Rússia. A dupla, aliás, foi companheira e campeã mundial em 1998, vencendo o Brasil na decisão por 3 a 0.

Apesar do apresso por Zizou, o presidente da federação revelou não ter feito uma proposta sequer para o ex-comandante do Real Madrid treinar a seleção. A pressão sobre o atual treinador ficou ainda maior depois do vice-campeonato europeu em 2016, sendo derrotados dentro de casa por Portugal, que perdeu Cristiano Ronaldo machucado ainda no início do jogo.

Para a Copa de 2018, porém, a França chega como uma das principais candidatas e favoritas ao título. No grupo C, os Bleus estreiam dia 16 de junho, em Kazam, contra a Austrália. Cinco dias depois, o adversário da vez é a seleção peruana, em Ecaterimburgo. A última partida da primeira fase está programada para o dia 26, contra a Dinamarca, em Lujniki.

Gazeta Esportiva

TAGS