PUBLICIDADE
Esportes

Já eliminados, Panamá e Tunísia se despedem em clima de alegria

Dois jogos, nenhum ponto conquistado e defesas muito vazadas. Apesar disso, dois times muito alegres. Essa é a realidade de Panamá e Tunísia, que se despedem da Copa do Mundo da Rússia nesta quinta-feira, às 15h (de Brasília), na Arena Mordovia, em Saransk, em choque válido pela última rodada do Grupo G. O cenário pode [?]

20:15 | 27/06/2018

Dois jogos, nenhum ponto conquistado e defesas muito vazadas. Apesar disso, dois times muito alegres. Essa é a realidade de Panamá e Tunísia, que se despedem da Copa do Mundo da Rússia nesta quinta-feira, às 15h (de Brasília), na Arena Mordovia, em Saransk, em choque válido pela última rodada do Grupo G. O cenário pode parecer estranho, mas reflete o sentimento de equipes que têm consciência de suas limitações e que se consideram felizes apenas por participarem da grande festa do futebol mundial.

O Panamá, que foi atropelado pela Inglaterra por 6 a 1 no fim de semana, se classificou pela primeira vez para uma Copa do Mundo e seu treinador, Hernán Darío Gómez, entende que isso pode ser considerado um feito. Mesmo assim, deseja se despedir com uma vitória.

?O nosso sentimento é o de dever cumprido. A diferença entre a gente e outros times como Bélgica e Inglaterra, que venceram a chave, é enorme. Muito maior do que as diferenças de gols. Portanto, temos que aproveitar o momento. Mas vamos tentar nos despedir com um triunfo?, explicou o comandante.

O treinador da Tunísia, Nabil Maaloul, é bem parecido. Na visão dele o futebol árabe vai precisar recuperar pelo menos duas gerações para poder se tornar mais competitivo. ?Precisamos de duas gerações para atingir a alta performance em termos de forma física e força. Temos que mudar o estilo de vida e a maneira de encarar o futebol. Mas não envergonhamos em nenhum momento o povo árabe e lutamos sempre de cabeça erguida. Jogamos de igual para igual com a Inglaterra (2 a 1 ) e conseguimos conter o ímpeto da Bélgica (5 a 2). Mas a vaga era algo pouco provável e agora queremos buscar a vitória na despedida?, pontuou.

Em termos de escalação os dois times apresentam problemas. No Panamá, o lateral-direito Michael Murillo e o meia Armando Cooper ficam de fora porque foram advertidos com dois cartões amarelos e precisam cumprir suspensão. Sem eles, Ricardo Ávila assume a lateral e Adolfo Machado entra no time, reforçando o poder de marcação. Recuperado de dores no punho direito, o goleiro Jaime Penedo confirmou escalação.

Pelo lado da Tunísia, a Copa do Mundo acabou mais cedo para o lateral-direito Dylan Bronn, que sofreu uma séria contusão no joelho esquerdo diante da Bélgica. Hamdi Nagguez assume a sua vaga. Mas o drama maior está no gol. Farouk Ben Mustapha sofreu lesão no joelho direito e foi vetado. Ele já havia substituído Mouez Hassen, que foi cortado por lesão na perna esquerda. Agora, Aymen Mathlouthi assume a vaga.

Pelo regulamento da Copa do Mundo, as seleções se enfrentam dentro de seus respectivos grupos em turno único. Ao fim, as duas melhores colocadas avançam para as oitavas de final, enquanto que as demais voltam para casa.

FICHA TÉCNICA

PANAMÁ X TUNÍSIA

Local: Arena Mordovia, em Saransk (Rússia)

Data: 28 de junho de 2018 (Quinta-feira)

Horário: 15h (de Brasília)

Árbitro: Nawaf Shukralla (Bahrein)

Assistentes: Abdulla Tulefat (Bahrein) e Taleb Al Marri (Catar)

PANAMÁ: Jaime Penedo; Adolfo Machado, Baloy, Román Torres e Eric Davis (Fidel Escobar); Ricardo Ávila, Gabriel Gómez, Eric Bárcenas, Aníbal Godoy, José Rodríguez e Arroyo; Blás Pérez

Técnico: Hernán Darío Gómez

TUNÍSIA: Aymen Mathlouthi; Hamdi Nagguez, Syam Ben Youssef (Badri), Yassine Meriah e Ali Maaloul; Ellyes Skhiri, Saif-Eddine Khaoui e Ferjani Sassi; Fakhreddine Ben Youssef, Sliti e Wahbi Khazri

Técnico: Nabil Maaloul

Gazeta Esportiva